coluna

Cultura Digital

Cultura Digital

Ricardo Oliveira traz novidades, dicas e opinião sobre o mundo da tecnologia, mercado digital, mídias sociais, games e tudo que respira bits. Toda quarta, na página 4 do caderno de Economia. Contato com o colunista: culturadigital@jornaldaparaiba.com.br

E aí, Siri?



Usuários de iPhone celebram: Siri em português! A versão beta do iOS 8.3 finalmente revelou que a atualização trará a versão nacional da assistente do smartphone da Apple. Longe de ser perfeita, mas ainda assim uma grande mão na roda, a Siri permite que comandos de voz sejam dados para diversas funções do aparelho. Enviar SMS, adicionar um lembrete, ler suas últimas mensagens, publicar no Facebook etc.

Um primeiro teste na versão beta (ainda em testes) foi feito pelo Blog do iPhone, revelando que ainda existem ajustes a serem feitos na dicção e compreensão do que é solicitado. Isso, por sinal, ainda é um problema mesmo nos pedidos em inglês e já virou motivo de piada.

Na versão em inglês, é possível usar o comando "Ok, Siri", para dar comandos de voz sem precisar tocar no smartphone (apenas quando ele está conectado a uma fonte de energia). Para os brasileiros, o comando passa a ser "E aí, Siri?"

O assistente da Apple ganhou concorrentes de peso nos últimos tempos, como o Google Now (Android) e o Cortana (Windows). O sistema da Google, inclusive, já saiu na frente funcionando em português e muito bem.

Ainda nesta atualização do iOS, novos Emojis serão adicionados, tornando a ferramenta mais internacional e inclusiva: estarão disponíveis bandeiras de mais países, todos os rostinhos terão diferentes cores de pele e também existem emojis que representam casais e famílias formadas por homossexuais.
Entre março ou abril deve sair a versão 8.2 do iOS, com a chegada do Apple Watch. Ainda não há previsão de quando será disponibilizado o 8.3, que traz essas atualizações.



Para pequenos

Não é novidade pra ninguém que crianças bem novinhas já sabem usar dispositivos touch screen. Nessa facilidade do mundo dos smartphones e tablets, o aplicativo do YouTube é um dos mais procurados, já que os pais usam a plataforma para rodar vídeos de conteúdo infantil. Dali pra frente, muitas vezes a interação fica no comando da própria criança e aí surgem os riscos. Pensando nessa situação, o YouTube lançou sua versão Kids em formato de aplicativo para dispositivos móveis. O app ainda não está disponível no iTunes brasileiro, mas não deve demorar. Essencialmente, o YouTube criou uma "programação" mais focada em conteúdo 100% infantil: animações, programas de ciência, etc. A interface é formada por ícones e bem menos texto e não tem a opção de comentários. Mesmo se o pequeno fizer uma busca por termos como "sexo", os resultados previstos na plataforma normal não são exibidos. O app é gratuito e disponível para Android e iOS.



Música do mundo

Quem realmente gosta de ouvir música, sabe que parte do prazer desse hábito envolve descobrir novos artistas. Se antes o hábito era vasculhar as prateleiras das lojas de discos e CDs, hoje o processo passa pela visita a blogs especializados e aos sistemas de streaming. Uma plataforma que pode ajudar aos que tem fome de música nova é a Beehype, que foi uma dica dada por Maísa Oliveira, que é blogueira na área e cuida também do conteúdo da Cabo Branco FM na web. O site é um ambiente de curadoria de DJs e especialistas do mundo inteiro, permitindo que você descubra a música que está no hype em todos os continentes. A seleção é bem indie e despreocupada com os hits das rádios, o que torna o processo ainda mais interessante. Acesse www.beehy.pe e confira.

Jogos de ontem remasterizados



Desde que inventaram os emuladores e ROMs, a gente não perde uma boa oportunidade de relembrar algum jogo do Super Nintendo ou do Mega Drive. O processo, que nunca foi oficializado e continua numa ilegalidade aceita pelas produtoras, revela o quão nostálgico nós somos. A evidência mais interessante é justamente o fato de que existem características dos videogames que são atemporais: a história e o game design.


Game design é a estrutura que faz do jogo ser o que ele é: desafiador, divertido, conectado à narrativa. Um bom game design (não confunda com a direção de arte) alcança esses fatores com maestria, sendo quase independente da jogabilidade ou dos gráficos, que podem ficar datados. Super Mario World, por exemplo, pode parecer estranho se jogado numa TV de LED de 40 polegadas, mas nunca vai deixar de ser divertido e desafiador.


Já as narrativas vivem uma revolução única na geração atual dos consoles, mas também influenciam nesse processo nostálgico. Permanecem no imaginário do gamer especialmente aquelas que se fizeram essenciais ao jogo para existir. Os jogos de aventura point and click, por exemplo, estão de volta.
Dois títulos famosos, de "décadas passadas", voltaram em 2015 em versões remasterizadas. O primeiro deles foi Grim Fandango, clássico para PC de 1998 que tem a assinatura de um dos principais nomes do gênero, Tim Schafer. O jogo se passa em um mundo dos mortos em estilo film noir, mesclando o gênero cinematográfico com a cultura asteca. A versão remasterizada tem melhores as texturas, efeitos sonoros e uma trilha sonora renovada. Grim Fandango Remastered está disponível para PS4, PSVita, PC, Mac e Linux. Vale ressaltar que o jogo só voltou para os consoles graças a uma campanha muito bem sucedida de financiamento coletivo.


Outra pedida para quem gosta do estilo é Fahrenheit: Indigo Prophecy, jogo desenvolvido pela mesma produtora de Heavy Rain e Beyond: Two Souls. Fahrenheit, que antes havia sido lançado para PS2, Xbox e PC, agora está disponível em versão remasterizada para iOS e, em breve, para Android.


O hábito da indústria em remasterizar jogos não é uma novidade. Especialmente na transição entre gerações de consoles (entre PS2 e PS3, por exemplo), vários games recebem um boost nos gráficos e são lançados para a versão mais nova de video game disponível. O movimento que vem surgindo desde o ano passado, entretanto, é uma investigação mais profunda no passado, trazendo títulos que são relevantes historicamente e que deixaram saudade. Sigo esperando um reboot do clássico Pitfall: The Mayan Adventure, de 1994.


Xing ling
Quem está chegando de vez ao Brasil é a chinesa Xiaomi, apelida de Apple Chinesa. A empresa já tem escritório nacional e seu vice-presidente global é o brasileiro Hugo Barra. Terceira em vendas no mundo, deve ter smartphone no mercado ainda no primeiro semestre.


Super imagem
Cada vez mais 4k, o mundo vai se adaptando à nova realidade das imagens em UltraHD. A popularização do formato não virá necessariamente das TVs, que ainda são caras, mas de interfaces como o iMac 5K, sistemas como a Netflix, YouTube e câmeras como a GoPro 4.

CPBR reaquecida



Começou ontem e vai até domingo a Campus Party BR 2015, que neste ano retorna ao Centro de Exposições Imigrantes, onde aconteceu a Comic-Con Experience em dezembro. Esse é um "passeio" e tanto para quem estiver por São Paulo e gosta de conferir tecnologia e cultura geek.

Nesta edição, a CPBR finalmente reaquece sua programação de palestrantes, trazendo nomes relevantes na ciência e no mundo digital: Leo Burd, brasileiro que é pesquisador do MIT; Chris Anderson, autor de "A Cauda Longa"; John Cioffi, criador da tecnologia DSL, que revolucionou a Internet; Miguel Nicolelis, que se destacou em 2014 com o exoesqueleto usado na abertura da Copa do Mundo; e, por fim e pela diversão, Paul Zaloom, apresentador do programa de televisão O Mundo de Beakman, que fez sucesso nos anos 90.

A Campus Party é um evento mundial que acontece no Brasil em duas edições anuais, em São Paulo e em Recife. Para participar integralmente do evento, é preciso adquirir ingressos que dão direito a todas as palestras e workshops do encontro. Este ingresso também garante o uso do espaço comum (mesas com tomadas e cabos de rede) com Internet de 50 GB/s.

A CPBR ainda traz um espaço gratuito, com palestras, debates e eventos de entretenimento, como uma batalha de robôs. Acesse www.campus-party.org para mais detalhes. Os cadastrados no site têm acesso a todas as palestras, gratuitamente, transmitidas online.



Spotify + Playstation


Uma novidade excelente para quem usa o PS3 ou PS4 como central multimídia. Além dos aplicativos do YouTube e da Netflix, agora a Sony também vai disponibilizar o Playstation Music, em parceria com o Spotify. Basicamente é um serviço de streaming de música no console, permitindo utilizar sua conta e o catálogo do Spotify. Para usuários do PS4, será possível até ouvir música no app enquanto estão jogando. Para quem já tem o hábito de utilizar o YouTube e a Netflix no console, realmente faltava uma opção fácil de colocar música para tocar na TV da sala em poucos passos. A novidade ainda não tem data de lançamento.

Cadê a chave?

A gente vive perdendo coisas dentro de casa. Não sabe onde deixou a carteira, a chave do carro, o tablet ou qualquer coisa que tenha tamanho o suficiente para "se perder". Amir Bassan-Eskenazi um dia não achava seu gato em casa e pensou que seria importante pensar soluções físicas para ajudar na integração entre o online e o offline. Assim, ele criou o Pixie: um sensor adesivo para seus objetos, fazendo com que ele seja encontrado pelo aplicativo. Um pacote com 4 sensores (um pouco maiores que uma moeda de 1 real) custa US$ 40 e o app é gratuito. A grande desvantagem é que esses sensores de 30 reais duram apenas 18 meses por conta da bateria, que não é substituível. No fim das contas, é uma boa tecnologia, mas seria muito mais interessante se houvesse uma tecnologia mais ubíqua para nossos objetivos. Ou seja: um componente comum e detectável que todos os fabricantes pudessem utilizar.

Obama vlogueiro



O que aconteceria se PC Siqueira, Camilla Coelho e Kéfera Buchmann fossem convidados pelo YouTube, por conta de sua relevância na rede, a entrevistar a presidente Dilma Roussef? É bem provável que acontecesse algo próximo do que foi visto nos Estados Unidos nos últimos dias.

Três youtubers de peso, com alguns milhões de seguidores cada, foram convidados pelo Google a entrevistar o presidente americano Barack Obama na Casa Branca. O programa, com 45 minutos de duração, foi transmitido ao vivo no YouTube e está na íntegra no canal do famoso gabinete presidencial americano.

Hank Green, Bethany Mota e GloZell Green foram os selecionados, cobrindo perfis e "tribos" de youtubers bastante diferentes. Em comum, todos têm o fator "vlog": expõem suas opiniões, anseios e intimidade para milhões de pessoas toda semana. Para muitos "a turma das baboseiras da Internet".

Foi exatamente assim que a mídia tradicional americana tratou o assunto. "Quem são esses três que estão entrevistando Obama?" era a pergunta no ar. A acidez crítica passou até pelo magnata da mídia Rupert Murdoch (dono da FOX e MSNBC), que tuitou questionando como Obama nega entrevistas à imprensa por motivos de agenda cheia e consegue ter tempo para vlogueiros.

Segundo Hank Green, irmão do famoso escritor John Green ("A Culpa É das Estrelas"), a essência do que aconteceu parte da premissa de que os três são eles mesmos: "de cara lavada" diante das câmeras ou de Obama, sem representar um projeto midiático além do seu. Ou seja, incomoda que "qualquer um" possa entrevistar o presidente.

Sim, até porque eles também não estavam representando o YouTube ou o Google.

Fato é que isso interessa muito mais a Obama e à Casa Branca do que aos youtubers ou ao Google, por exemplo. O presidente americano tem feito vídeos que buscam comunicar seus atos de governo aos jovens da plataforma de vídeos. Com entrevistas como essa, convidando famosos da rede, ele apenas segue o princípio básico do marketing de conteúdo: para atrair mais atenção no YouTube, convide um parceiro para puxar a audiência dele até você. Ele convidou três.

Os resultados? As buscas pelo canal da Casa Branca no Google dobraram desde a entrevista. Murdoch solta fumaça; Obama se conecta ao jovem para eleger seu candidato em 2016; os três youtubers dão risada enquanto fazem um selfie com o presidente.


Microsoft aposta em realidade aumentada

Na última semana, a Microsoft fez um evento para apresentar à imprensa suas novidades para 2015. Entre elas está o novo Windows 10, que traz de volta o sagrado menu iniciar (como um dia tiraram ele?), uma assistente pessoal chamada Cortana e um novo browser, o Project Spartan (aí, sim, um acerto atrasado). O novo sistema operacional será gratuito para quem tem o Windows 7 ou 8 originais. A grande novidade da apresentação, porém, foi o anúncio do HoloLens. A empresa surpreendeu com um concorrente para o famoso Oculus Rift, recém-adquirido pelo Facebook. O HoloLens promete ser "o novo PC", reinventando o jeito que consumimos informação, interagimos com jogos, visitamos ambientes virtuais e até "construímos" coisas, como em Minecraft. Por sinal, uma das grandes expectativas está no jogo, que foi comprado pela Microsoft em 2014.

Lol no estádio

Em 2014, eu trouxe algumas vezes na coluna o crescimento dos e-Sports no mundo. Nos Estados Unidos, o canal FOX já transmite partidas de campeonatos mundiais de esportes eletrônicos. Por aqui, o jogo vai viver o que até então é seu clímax no Brasil: a final do campeonato brasileiro vai acontecer no estádio de futebol do Palmeiras, em São Paulo.
Para reforçar tudo ainda mais como um verdadeiro esporte em seus moldes tradicionais de competição, o campeonato CBLoL vai proporcionar uma segunda divisão que disputa espaço na linha principal.
Fechando o pacote de novidades para 2015, a produtora Riot ainda apresentou ao público seu novo estúdio de transmissão das partidas no Brasil. A estrutura (foto acima) é única no país, com 350 metros quadrados, bancada de jogadores, de apresentadores e comentaristas. As transmissões online contam com reportagens produzidas em nível de televisão aberta, câmeras em cada computador para apresentar os jogadores antes das partidas e muita pompa herdada do lado espetáculo do mundo dos esportes.
O universo dos e-Sports se expande, ganhando força, profissionalismo e premiações cada vez mais altas para os jogadores. Em 2015, se espera que sejam distribuídos mais de R$ 500 mil em prêmios. As transmissões acontecem aos sábados e domingos, às 14h e 16h, no canal www.youtube.com/lolesportsbr.


Busão
O app Moovit é uma mão na roda para quem usa ônibus, especialmente para os turistas. Aplicativo é primo do Waze (GPS colaborativo com informações de trânsito em tempo real) e mostra itinerários e linhas de ônibus em todo o mundo. No Brasil, ele já funciona adequadamente em 28 municípios e, em algumas cidades, traz até informações em tempo real sobre os horários do ônibus. No aplicativo, basta dizer onde quer chegar e ele te diz qual a melhor linha de transporte coletivo para utilizar e onde está o ponto mais próximo. É gratuito e disponível para Android, iOS e Windows Phone.

Demorô
Todo mundo usa o Google Tradutor, certo? A versão para smartphones agora está uma coisa-linda-de-deus. O app consegue traduzir, em tempo real, imagens e sons pra você. Quem já usou o GT em viagens internacionais sabe que em certas situações você tem que sacar o telefone do bolso, digitar a informação e receber a tradução textual. Agora é possível, por exemplo, usar o GT numa conversa para conseguir uma informação através da tradução sonora. Basta falar ao microfone e receber a versão traduzida também em áudio. Já se a situação for uma placa ou um cardápio de restaurante, basta apontar a câmera para o texto (que precisa estar bem visível e com bons contornos) para visualizar a tradução. É grátis e disponível para Android e iOS.

Sayonara, Brasil



Tudo bem que a Nintendo não vai muito bem das pernas, mas a ideia de cancelar a venda de seus produtos no Brasil me parece um sinal plausível que nossa carga de impostos é um veneno. E é um veneno intenso para o mercado de games. Se ainda não tinha ficado claro com o absurdo preço do Playstation 4 (que tem um valor bem menor no Mercado Livre), agora fica evidente com o gesto da criadora do Mario.

A Nintendo escolheu não vender mais nada no Brasil. A partir de agora, o que você tem disponível é o que ainda está em estoque nas lojas ou em compras digitais. Nada de 3DS, WiiU ou jogos para esses consoles. Tudo isso, somente importando através de e-commerce internacional (ou do Mercado Livre…).

A empresa não teve receio em falar que se isso de fato se deve à carga tributária brasileira. Em entrevista ao G1, o diretor a empresa na América Latina chamou a situação de insustentável. Para ele, não é um caso sem volta, mas é isso que tem pra hoje. No ano em que se espera o retorno da série The Legend of Zelda, os nintendistas sentam e choram.


Estatuetas nada digitais

Se a noção de televisão está em mudança, os players também precisam mudar. O sistema on demand se consolida com cada vez força no mercado, especialmente ao ganhar destaque nas grandes premiações do circuito. E se a Netflix já tinha chamado atenção no Emmy com dezenas de indicações, o Globo de Ouro serviu para consolidar não só a rede mais tradicional de filmes e séries sob demanda, mas também a Amazon, que entra na jogada. Kevin Spacey e seu político Frank Underwood em House of Cards levou o prêmio de melhor ator em série dramática. A surpresa, porém, foi Transparent, série da Amazon que ganhou a categoria melhor cómedia para TV. Os prêmios, junto ao reconhecimento do público, mostram que os novos rumos talvez não sejam mais tão novos assim. Transparent também levou o prêmio de melhor ator de comédia, para Jefrrey Tambor, que interpreta um transgênero. Qual a próxima tacada da empresa de Jeff Bezzos? Anunciaram nesta terça uma nova série assinada por Woody Allen.


Aprofundado
Se você fazia parte da turma defensora da ideia de que o Twitter iria nos fazer rasos, precisa conhecer o Medium. Agora com presença no Brasil, a plataforma de Evan Williams (um dos criadores do pássaro azul) segue desenvolvendo seu conceito de aprofundar histórias. Focada em reformular nossa noção de blogar na rede, o Medium busca ser um ambiente para escrever sem se preocupar com visual (ele já é bonito e minimalista como uma folha de caderno), periodicidade ou mesmo popularidade. O Medium é gratuito e sua home faz curadoria dos posts mais relevantes e os destaca para os leitores. Acesse www.medium.com.



Rodinhas
E se na CES o que sempre chama mais atenção são os gadgets inteligentes para o lar, meu destaque desse ano vai mesmo para os itens de transporte. Depois da Gogoro, a smartscooter que é elétrica e se conecta ao smartphone, vale o registro para os patins elétricos (à esquerda na foto) e o monociclo elétrico, que podem trazer movimentos interessantes no jeito de se deslocar na cidade.

CES 2015: o que tem de novo?

Começou a Consumer Electronics Show, a famosa CES. A feira que movimenta Las Vegas no mês de janeiro e aponta as primeiras novidades do ano, trazendo um monte de coisa que vai ser tendência em 2015 ou simplesmente será esquecida antes de fevereiro chegar. Alguns destaques que já apareceram por lá:



SSD Externo
Os ligeirinhos drives SSD, presentes em notebooks de ponta, agora ganham uma versão externa e ultra-compacta, da Samsung. O SSD T1 é o lançamento da empresa, parecendo um cartão de visitas se observado em 2D. Com opções em 250GB, 500GB e 1TB, o HD chega a 450mb/s (abaixo do SSD interno, mas muito acima da média de HD comum) se utilizada a porta USB 3.0. O preço começa em US$ 179 e termina em US$ 599 obamas. A tecnologia promete e deve ser tendência para os próximos anos.



Smart motoca
Ex-executivos do smartphone HTC resolveram abraçar um desafio bem diferente: levar a revolução digital do mundo dos smartphones e tablets para as famosas motos cinquentinha. Para eles, a smartscooter Gogoro representa isso, com seu sistema totalmente elétrico e convergência com um aplicativo para smartphone. A moto chega a 50 km/h em 4.20 segundos, atingindo uma velocidade máxima de 95 km/h. A parte da smart é que chama mais atenção: com 55 diferentes sensores espalhados pela moto, ela se conecta à nuvem e te informa, pelo smartphone, detalhes da sua jornada diária e, o melhor: otimiza a perfomance a partir da sua rotina. A Gogoro funciona com um par baterias (parecem duas de 9v bem grandes), que precisam ser trocadas a cada 100 km rodados. Este, possivelmente, é seu único calo: apesar de toda sua simplicidade, ela depende de que seja implementado na cidade um ecossistema de recarregamento de baterias.


Robô carregador

Apesar de todo tipo de explicação, não era exatamente fácil entender a futura utilidade de certos robôs apresentados na RoboCup 2014, que aconteceu em João Pessoa. Um deles, em especial, que comentei e apresentei em vídeo no Jornal da Paraíba, era focado em ser um assistente do lar, para situações emergenciais ou de força extra. Baseado nesse conceito, foi apresentado na CES o Budgee, um robô que te ajuda a carregar as compras ou suas malas. Ele funciona te seguindo graças a um sensor que você leva no bolso e lembra o famoso Wall-E. Ele consegue levar até 22 kg e toda sua utilidade bate no orçamento com mão pesada: custa US$ 1.400.


GGJ 2015

Preparem as máquinas, os dedos, o energético e a criatividade que vem aí mais uma Global Game Jam. Nos dias 23, 24 e 25 de janeiro, acontece em todo o planeta e aqui na Paraíba o maior encontro de desenvolvimento de jogos digitais do mundo. Neste ano, como sempre, a Facisa em Campina Grande traz o evento para a Borborema, garantindo 48 horas sem parar, unindo gente que trabalha com isso ou curiosos que queiram descobrir o mundo da criação de jogos. Para a edição de lá, as incrições são gratuitas e acontecem no site facisa.edu.br/jogosdigitais. Já em João Pessoa, a jam vai rolar no Unipê, ampliando o espaço do encontro devido ao sucesso de 2014. Para se inscrever GGJ da capital, acesse o link http://migre.me/nZsWd. No ano passado, a Global Game Jam registrou 488 encontros em 72 países. Foram 23.189 participantes e 4.292 jogos produzidos.

Os jogos mais aguardados para 2015

A maior indústria de entretenimento eletrônico do mundo tem que gerar as maiores expectativas. É uma espécie de obrigação que os games precisam cumprir entre os fãs de franquias, dos criativos desenvolvedores e das grandes marcas. Por ser um ano de transição, 2014 não trouxe grande impacto com jogos emblemáticos como 2013 (GTA V e The Last of Us que o digam). O ano que se aproxima, entretanto, tem tudo para apresentar aos gamers mais ávidos e usuários da nova geração, o início de novos tempos. Eis o que eu mais espero entre os jogos que devem ser lançados em 2015:


Uncharted 4
Depois de um teaser cheio de mistério revelado na E3 deste ano, foi comprovado com o vídeo de gameplay que Uncharted 4 tem tudo para fechar a série de forma grandiosa. Com um Nathan Drake mais velho, mas não menos ágil, vamos mais uma vez em busca de tesouros perdidos, encarando muita gente com metralhadoras, novas habilidade e gráficos ainda melhores. O Indiana Jones desta geração volta com tudo no PS4.


No Man's Sky
O indie que virou blockbuster deve ser um dos games mais aguardados da história. Depois da geração Minecraft dominar o mundo, é bem provável que No Man`s Sky (exclusivo para PS4) ocupe esse lugar. Enquanto Minecraft traz uma exploração de cavernas em design de pixelart, NMS será uma busca espacial ao estilo Star Wars, com mapas literalmente gigantescos (planetas e galáxias) e gente do mundo inteiro conectada. Aguardadíssimo.


The Witcher 3
Aguardado como o RPG que deve definir o gênero para a nova geração de consoles, o novo The Witcher tem concorrentes fortes para bater. Com Dragon Age: Inquisition marcando o ano com sua estrutura de múltiplos personagens e mapas enormes, como The Witcher 3 pode ser tão aguardado? Os gameplays mostrando um jogo de lutas épicas e escolhas que influenciam nos rumos da história só aumentam a ansiedade.


Rise of the Tomb Raider
No novo mundo de Lara Croft, um jogo de origens é muito bem-vindo. Com a ação e os puzzles reinventados, valorizando bastante a jogabilidade e o aprimoramento de recursos e armas, o Tomb Raider de 2013 foi um dos melhores daquele ano. Sua continuação, que tende a ser exclusiva para Xbox One, deve competir frente a frente com Uncharted 4, gerando uma nova batalha de consoles.


The Order 1886
A aventura steampunk em terceira pessoa e com jogabilidade ao estilo Mass Effect tem tudo para nos deixar ansiosos: visual retrô-futurista, perseguição a monstros, grupos secretos com armas laser no século XIX e relação com figuras histórias importantes na tecnologia, como o cientista sérvio-americano Nikola Tesla. The Order 1886 é exclusivo para Playstation 4 e tem lançamento previsto para 20 de fevereiro.

Conteúdos que são tendência



Em um dos anos mais malucos da história (o Brasil perdeu de 7, lembra?), uma coisa permaneceu intacta: nossa fome por informação - nossa curiosidade, afinal. Mesmo com toda disputa por audiência e receita publictária, a relevância dos canais de conteúdo só cresce. Para os independentes, o caminho permanece estável para os blogs, em crescimento constante para os YouTubers, em processo de amadurecimento para instagramers e viners.

Por aqui, gosto de trazer para o leitor o que mais me impressionou em 2014. Movimentos de conteúdo, brincadeiras, memes, produtos, serviços ou aplicativos que representam um momento de inovação, voluntário ou involuntário.

The Verge - www.theverge.com.br

No batente desde 2011, o site marcou meu 2014 de um jeito muito específico. O Verge apontou como que, no mundo de hoje, há uma relação cada vez mais constante entre cultura, ciência e tecnologia. O que faltam são pessoas que façam e expliquem essa conexão. Assim, o conteúdo do site discute biotecnologia, smartwatches e Guardiões da Galáxia com a mesma intensidade. Isso é cultura digital.

YouTube Brasil - www.youtube.com

Não é novidade que existe muita gente vivendo do conteúdo que produz originalmente para o YouTube, com comédia, gameplays e dicas de beleza. Mas nenhum ano foi tão marcante quanto 2014. A plataforma investiu pesado no Brasil, colocando anúncios fora da Internet para divulgar grandes canais e fortalecer a plataforma no mercado publicitário. Canais como a Porta dos Fundos, que começaram por lá, já lançaram duas webséries, programa na Fox e já apresentaram o teaser do seu primeiro longa-metragem.

Vídeos do BuzzFeed - www.buzzfeed.com/videos

O BuzzFeed chegou ao Brasil com sua força das listas engraçadinhas e bombou, mas foi lá fora onde eu encontrei o mais interessante. O canal secundário BuzzFeed Videos lança diariamente o que provavelmente vai ser tendência em 2015. Curtinhos, entre 1 e 3 minutos, os vídeos fazem brincadeiras tipo "coisas estranhas que casais fazem no Natal", fazendo esquetes com listas ou ideias malucas como "Em câmera lenta, pessoas tentam pegar pipoca com a boca". Tudo pela diversão, tudo pelo clique.

Geração DIY

Se atualmente vivemos uma grande demanda por aprendizado, não era de se surpreender que surgissem professores improvisados, independentes e com didática própria. São centenas de canais de YouTube e blogs de "faça você mesmo" (Do It Yourself - DIY) na web, com dicas de decoração, arrumação da casa, manutenção automotiva, ciência, hacking, conserto de gadgets, uso de softwares e afins. Confira o "KeepCalmDIY TV".

Retrospectiva do YouTube em 2014

Como virou tradição, para celebrar o que aconteceu de melhor entre memes e vídeos mais populares da Internet, o YouTube lançou seu Rewind 2014. A retrospectiva desse ano foi meio insossa comparada ao ano passado, mas tem um ponto interessante. Este foi o ano dos talk shows no YouTube. O vídeo de 2014 traz nomes como Conan O'Brian, John Oliver e Jimmy Kimmel, que são da televisão americana. No YouTube, amplificaram fama produzindo conteúdo específico pra rede ou mostrando trechos de entrevistas e apresentações dos seus programas.
Em escala mundial, o YouTube indica que o vídeo mais popular foi a excelente pegadinha da aranha mutante. Se você não viu, confira na versão digital da coluna e garanta as risadas. No YouTube Brasil, a lista de mais populares ficou nessa ordem (baseado não apenas nas visualizações, mas nos compartilhamentos e likes):


1. Dilma - Copa do Mundo: o vídeo do canal Parafernalha, interpretado pelo ator Gustavo Mendes, brinca com o resultado tupiniquim na Copa do Mundo de 2014.

2. Pra Mim Chega: esquete do Porta dos Fundos com namorada ultra-ciumenta chegou a quase 10 milhões de views em 10 meses.

3. Galinha Pintadinha chega a 1 bilhão de views: um curtíssimo vídeo pra celebrar seu primeiro bilhão de views do canal e bang, mais um hit.

4. Bor Marley vs Bob Esponja: a galera do Galo Frito promove encontros inusitados, como sempre.

5. Mutant Giant Spider Dog: a pegadinha mais legal do ano veste um cachorro preto de aranha e surge em momentos inesperados assustando pessoas na rua. Mais de 118 milhões de views em 3 meses.

6. Play Doh Ice Cream cupcakes playset: quase 60 minutos de uma pessoa brincando de comidinhas com massinha de modelar. Mais de 260 milhões de views em 9 meses.

7. Taca-le pau, Marcos: vinte e seis segundos de um sotaque hilário, um carrinho de rolemã e mais de 5 milhões de views nesse momento anacrônico.

8. "O sonho de ser campeão não acabou":
Neymar fala emocionado sobre sua contusão e tenta manter a calma dos fãs na Copa do Mundo.

9. Pegadinha - traindo o namorado: uma brincadeira ao estilo "teste de fidelidade" mostra a popularidade do Canal Boom, que tem mais de 1,2 milhão de inscritos com suas pegadinhas.

10. Chiquititas - Capítulo 215 completo: o fenômeno dos anos 90 se popularizou novamente no SBT e no YouTube se amplia com mais de 4 milhões de views no décimo vídeo mais visto do ano.

Vale ressaltar que o mundo da música tem lista própria e segue um "mundo paralelo". Os grandes nomes internacionais, como Katy Perry, chegam a mais de 700 milhões de views. No Brasil, o vídeo mais visto é do cantor Lucas Lucco, passando as 50 milhões de visualizações. Em paralelo a todo esse sucesso, na próxima semana eu trago o que foi o melhor da web (e do YouTube) pra mim em 2014.


Videocast

Estou de volta ao Jornal da Paraíba TV com dicas de aplicativos e jogos para smartphones e tablets. Como na temporada passada, trago sempre duas sugestões em poucos minutinhos, tentando abraçar os apps mais úteis, os jogos mais divertidos. Nesta edição eu apresento os excelentes Skyscanner Passagens Aéreas e Retry. Acesse www.jornaldaparaiba.com.br para conferir.