coluna

Pão & Circo

Pão & Circo

Nem tão santificada como o pão, nem tão carnavalesca quanto o circo. O cotidiano da cidade e de suas pessoas, a notável das coisas simples. Uma coluna aberta a seu tempo onde a versão é mais importante que o fato. Contato com o colunista: stavares@tce.pb.gov.br

O MINISTRO E O MOSQUITO

 Nossa neurastênica presidente teve mais um acesso de fúria com outra declaração mal colocada do ministro da Saúde. Ele disse a um grupo de jornalistas que o mosquito vem ganhando a guerra no Brasil. E disse-o bem. Faz 30 anos que o Brasil briga com o Aedes aegypti, e sua proliferação mostra que estamos longe de vencer a batalha, batalha esta que somente chegou às manchetes depois que se estabeleceu uma ligação entre o zika vírus, transmitido pelo mosquito, e os inúmeros casos de microcefalia que infestam o Brasil, especialmente em Pernambuco e aqui na Paraíba. Na verdade nem a dengue nem a chikungunya foram consideradas dignas da atenção do ministério. Somente quando crianças mal formadas começaram a aparecer na imprensa é que o Aedes subiu de cotação e deu ensejo a comentários pouco salutares do ministro.

Não fosse essa descoberta de que o zika pode causar malformação nos fetos e o Aedes estaria a salvo para continuar picando indefinidamente, como o fez ao longo de três décadas, quando reinou soberano num país sem programa de prevenção sanitária, sem esgotos e sem preocupações com os mais pobres. A surpresa diante desse novo quadro igualmente não fez com que providências efetivas fossem tomadas. Ao que se sabe, até agora o governo somente pensa em distribuir repelentes e em doar um salário mínimo a cada criança malformada que passar pela perícia. Ou seja, nada contra o mosquito, tudo depois do mosquito e de uma vida perdida. Essa filosofia de não atacar a base tem sido a salvação do Aedes, que encontra campo fértil numa população desinformada e num governo pouco cuidadoso.
A zika foi um presente da Copa, quando nossas barreiras sanitárias foram furadas por algum turista infectado e agora, com as Olimpíadas, seremos nós a espalhá-la pelo resto do mundo, caso não haja uma ação severa. O Brasil já está como roteiro perigoso para viagens em vários países por conta da epidemia, e segundo dados da ONU a zika deverá infestar todo o continente, com exceção do Canadá pelas temperaturas baixas. Internacionalmente surgiremos como difusor de uma doença grave por pura incúria de nossas autoridades, que tiveram tempo e recursos para combater o Aedes quando ele ainda não tinha poderes tão grandes. Agora, com o agravamento da situação, teremos que esperar que o mundo nos envie ou sugira um novo tipo de combate à doença, como a vacina, para que saiamos desse impasse.
 
Bandalheira
A cada avanço da operação Lava-Jato, o Brasil se estarrece ao verificar que havia uma quadrilha instalada no poder com intuito de garantir as eleições e amealhar vantagens pessoais.
Lula e Vaccari estão metidos nessa nova fase da operação por erro na declaração de bens e beneficiamentos suspeitos, como um luxuoso apartamento que seria do ex-presidente numa manobra difícil de explicar.
Lula continua negando qualquer ligação com o ilícito, mas esse é um costume antigo do PT de rejeitar a verdade. Descortinado o caso ao vir as provas de que obter vantagens, adquirir bens era uma política comum e cotidiana nos tempos e governos petistas.
Não é à toa que no ranking internacional o Brasil despenca sete pontos no quesito corrupção, e olha que a Lava-Jato ainda tem muitos segredos a revelar.
 
Abortado
Não é possível que em meio a uma crise financeira sem tamanho, com fornecedores caloteados e funcionários sem aumento nem progressão alguém ainda se atreva em falar na criação do TCM.
Desde o início, a oposição tem avisado que não existiam condições financeiras para criação do novo órgão, mas a sede política do governo de dominar as prefeituras desconhecia essa realidade.
Agora, quando o próprio governo alardeia a crise, o projeto TCM está abortado no seu nascedouro.
 
Vítima
Vítima de sua própria popularidade, o japonês da Federal terminou sendo afastado de suas funções.
Ele virou personagem nacional ao aparecer constantemente realizando prisões de figurões da República.
 
Aliança
Manoel Junior que se cuide ou o golpe pode vir de onde ele menos espera.
Zé Maranhão reuniu-se com secretários do atual governo e na pauta aliança para as próximas eleições.
 
Infeliz
A agressão feita pelo procurador José Maria ao ex-prefeito Veneziano Vital fere todos os princípios da civilidade.
Mostra o despreparo do agressor para o contraditório na política.
 
Campanha
As campanhas pela direção da Unimed eram campanhas domésticas, mas agora são confiadas a agências de propaganda que realizam o marketing de cada candidato. Deve ser muito bom o cargo para merecer isso...
 
Enfrentamento
O governador Ricardo afirmou que vai discursar na Assembleia na retomada do ano legislativo. Com maioria folgada, Ricardo não teme os arroubos da oposição com muitas matérias desgastantes para o governo em pauta neste início de ano.
 
Frases...
 
Escolhendo - Entre dois males, escolha o que você ainda não experimentou.
 
Errando - Duas pessoas que não cometem o mesmo erro duas vezes: virgens e paraquedistas.
 
Antecipando - Interessa-me o futuro porque é onde pretendo passar o resto da vida.