Vida Urbana


Marvin Correia passa a ser réu no processo de chacina na Espanha

Jovem teria incentivado assassinato de Marcos Campos, diz promotor.




Reprodução/TV Globo
Reprodução/TV Globo
Com base no inquérito policial produzido pela Polícia Civil, ficou clara a participação de Marvin no homicídio de Marcos

Apesar de ter sido solto na quarta-feira (30), a situação de Marvin Henriques Correia não ficou mais fácil. Ele agora passou de indiciado a réu no processo da chacina da Espanha, onde morreram Marcos Campos, Janaína Diniz, e seus filhos de 1 e 4 anos. Segundo o promotor Alexandre Varandas, o jovem foi peça fundamental na morte de Marcos Campos. A juíza do caso, Francilucy Rejane de Souza, aceitou a denúncia feita pelo Ministério Público no dia 30 de novembro, mesmo dia em que revogou a prisão preventiva do jovem. A informação foi confirmada nesta sexta-feira (2) pelo promotor responsável pela denúncia.

Segundo Varandas, através das mensagens trocadas pelo WhatsApp, Patrick Gouveia mostrou cansaço após matar a tia e os primos, mas Marvin o incentivou a finalizar o crime - a matar o seu tio. Com isso, criminalmente ele passa a responder por participação no homicídio.

O jovem teve sua prisão preventiva revertida para cautelar, e passou a responder o processo em liberdade e ser monitorado por tornozeleira eletrônica, onde deve ficar em casa das 22h às 6h, e comparecer em cartório uma vez ao mês.

De acordo com promotor do caso, com base no inquérito policial produzido pelo delegado de homicídios de João Pessoa, Reinaldo Nóbrega, ficou clara a participação de Marvin Henriques no homicídio de Marcos Campos, tio de Patrick e último dos quatro a ser morto.

Marvin caracteriza sua participação no crime quando incentiva o amigo Patrick a prosseguir com os assassinatos, e dando dicas de como ocultar os corpos e limpar evidências. “Após matar a tia e os primos, Patrick estava cansado e resolveu falar com Marvin pelo Whatsapp, e foi neste momento que ele incentivou o amigo a continuar com o plano de matar toda a família. Ele teve participação importante na morte de Marcos pelo amigo Patrick e deu dicas de como desovar os corpos da tia e dos primos, de como limpar a cena do crime”, comentou Varandas.

Após a denúncia ter sido recebida pela juíza, Marvin Correia deve ser citado no processo e uma data da audiência vai ser anunciada. A partir disso, testemunhas de defesa e acusação vão ser convocadas para depor. “Ele foi denunciado pela participação, mas na lei não é previsto tal crime. Portanto, ele vai responder por homicídio qualificado e a depender do entendimento da juíza, a pena será atenuada por não ter participado diretamente do assassinato”, finalizou o promotor.