Vida Urbana

35% das crianças do Peti não comparecem às aulas em CG

Dados mostram que cerca de 500 crianças de 6 a 16 anos atendidos pelo Peti não frequentam aulas com regularidade e podem perder o benefício.




Nem mesmo o pagamento regular do benefício social está sendo suficiente para fazer com que as famílias de Campina Grande cumpram a obrigação de manterem seus filhos frequentando a escola. Preocupado com a situação, o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti) está aumentando o rigor na fiscalização das famílias cadastradas e alerta que muitos benefícios podem ser suspensos.

De acordo com a coordenadora local do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil, Maria das Dores Meira, das 1200 crianças e adolescentes de 7 a 16 anos atendidos pelo programa, 35% não comparecem regularmente as aulas, o que dá uma média de 500 alunos.

“Tem aluno que comparece somente uma vez por semana e, por mais que alertemos as famílias, o problema não está sendo resolvido”, destacou.

Ela demonstra preocupação pelo fato de nos últimos dias está sendo observado o aumento do número de crianças trabalhando e pedindo nos principais semáforos e ruas do Centro.

“Isso é algo que nos preocupa bastante, pois nesses locais elas estão expostas a vários riscos e estão perdendo a oportunidade de estudar”, relata.

A gestora informou que visitas técnicas já foram feitas as casas dos benefíciados que não cumprem as condicionalidade do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil, para que eles compreendam que estão sujeitos a deixar de receber o benefício pago pelo governo federal.

Para reforçar ainda mais o alerta, o programa vai realizar, às 10h de hoje, uma reunião extraordinária com as famílias beneficiadas pelo programa. O encontro será na Vila Olímpica Plínio Lemos, no bairro José Pinheiro, e reunirá representantes do Programa Bolsa Família, Ministério Público, Conselho Tutelar, Conselho do Direitos da Criança e do Adolescente, entre outros órgãos.

Na reunião, espera-se o comparecimento de 300 pais que não cumprem as premissa do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil e será informado a obrigação de, neste mês de janeiro, as crianças participarem da colônia de férias, que será iniciada amanhã e se estenderá até o dia 31 deste mês.