Fabi Cavalcanti
Miguel Cavalcanti

Como prevenir a contaminação por Esporotricose

Com um nome bem esquisito, a esporotricose é popularmente chamada de doença do gato mas, na verdade, o gato não é o verdadeiro culpado pela disseminação da doença. 

Esse fungo chamado Sporothrix pode estar  presente em troncos de árvores, solo, espinhos, lascas de madeira, vegetais em decomposição e pode afetar humanos e animais causando lesões múltiplas, mais comuns nas mãos e nos braços, podendo afetar o sistema linfático e até disseminar para outros órgãos. 

Os gatos, como tem por hábito subir em árvores utilizando as unhas, estão em contato direto com a terra por usarem-na  como banheiro e passam por dentro de arbustos com mais facilidade que os cães, acabam se tornando mais vulneráveis a esse fungo. 

A contaminação acontece quando se tem uma “porta de entrada” para esse fungo na pele ou na mucosa; machucados com espinhos, farpas, arranhões ou mordida de animais infectados podem levar à contaminação. 

Há muitos anos atrás eu tive esporotricose, contraí quando machuquei minha mão na horta de uma escola em que trabalhava – sem gatos ou nenhum outro animal por perto, o fungo estava ali presente. 

Pesquisando mais a fundo, aprendi que a esporotricose já foi conhecida como doença do jardineiro mas, atualmente, fazem essa associação dela com os gatos, talvez por estes serem mais sensíveis à doença.

Existem algumas maneiras de evitar a contaminação: 

. Mantenha o seu gatinho dentro de casa, evitando assim que ele se envolva em alguma briga com outro gato que esteja contaminado. 

. Utilize luvas para jardinagem quando for mexer em terra ou jardins – cuidado com  lascas de madeira, galhos e espinhos.

. Caso encontre um animal com feridas, evite manipulá-lo sem luvas. 

. Animais com suspeita de esporotricose devem ser levados imediatamente ao veterinário.

. Animais contaminados deverão ser mantidos em isolamento para tratamento.

. Caso um animalzinho venha a falecer com esporotricose, não descarte-o no lixo ou enterre – orientação da Secretaria Municipal de Saúde é que animais xom esporotricose devem ser cremados para evitar contaminação dos solos. 

Lembre- se de que esporotricose NÃO é a doença do gato, ele também é uma vítima desse fungo que pode ser bem agressivo. 

 

 

Veja também  Como manter a decoração de Natal em casas com cães e gatos?