8 filmes e séries com crianças para assistir longe das crianças

Nem sempre produções com crianças em destaque são feitas para elas. Confira a lista do JORNAL DA PARAÍBA

Crianças em destaque no elenco. Animação. Produções voltadas para o público infantil? Nem sempre. Baseado  nisso, neste Dia das Crianças, o JORNAL DA PARAÍBA preparou uma pequena lista de filmes e séries que têm uma criançada fazendo parte, mas que devem ser assistidos bem longe dos pequenos. Inclusive com as plataformas onde as produções podem ser conferidas.  

Conta Comigo (Star Plus, Paramount, Net Now, Claro Vídeo, Oi Play) – 12+

 

Sabe aquele filme clássico da Sessão da Tarde? A verdade é que “Conta Comigo” não deveria ser tão acessível para as crianças na TV aberta. O filme é um grande clássico dos anos 80 que fala sobre amizade e autodescoberta. Mas também fala em morte, violência doméstica e traumas. 

 

O longa é inspirado num conto do mestre do terror Stephen King, chamado “O Corpo”. Dessa vez ele conta situações assustadoras, mas aquelas da vida real. Os quatro amigos saem em uma jornada para procurar pelo corpo de um colega que estava desaparecido e acabam embarcando no caminho sem volta do amadurecimento. Discorda do filme estar nessa lista? Tudo bem, mas a classificação indicativa recomenda que ele não seja visto por menores de 12 anos. 

 

Cidade de Deus (Globoplay, Telecine) – 16+

 

Considerado por muitos o melhor filme brasileiro de todos os tempos, “Cidade de Deus” mostra a realidade de muitas crianças e adolescentes em favelas e periferias do país. Nessa obra prima de Fernando Meirelles, no entanto, as crianças são grandes vítimas da sociedade – tanto sofrendo consequências físicas da violência quanto sendo levadas a cometer atos infracionais, desde os mais pequenos a outros inimagináveis. Um filme obrigatório na lista dos brasileiros, mas para assistir longe das crianças.

 

Rick e Morty (HBO Max e Netflix) – 16+

 

Morty é um garoto que vive aventuras incríveis por todo o universo com o seu avô, o cientista Rick Shanchez. A sinopse dessa série de animação poderia até chamar a atenção dos pequenos, mas a classificação indicativa dos episódios é de 16 anos e há motivos para isso. Além dos palavrões constantes, os episódios contêm temas como violência, nudez, incesto e abuso sexual. Isso sem contar as referências a assuntos que as crianças não entenderiam. Definitivamente um desenho para adultos.

 

Invencível (Amazon Prime Video) – 18+

 

“Invencível” é uma série de animação que tinha tudo para atrair as crianças: super-heróis. Mas antes mesmo do fim do primeiro episódio, a gente corre para tirar os pequenos da sala para não traumatizar ninguém. A violência na telinha é brutal, mesmo acontecendo com personagens animados. 

 

O protagonista da história é Mark, um adolescente normal que é filho do maior super-herói do planeta. Até que ele próprio começa a desenvolver poderes e ter que ajudar o mundo, enquanto lida com problemas da idade.

Veja também  Maestro Rafael Garcia, um dos fundadores do departamento de música da UFPB, morre aos 77 anos

 

O Iluminado (Globoplay, HBO Max, Telecine, Net Now) – 14+

 

Mais uma adaptação de obra de Stephen King para o cinema, “O Iluminado” é um clássico do terror que mostra o garoto Danny e seus pais isolados em um hotel durante um rigoroso inverno. O cenário já é sinistro e a situação piora quando o contínuo isolamento começa a causar problemas mentais sérios no pai de Danny, e o garoto passa a ter visões sobrenaturais de acontecimentos do passado. Um filme para assistir segurando na mão de alguém, mas não de uma criança.

 

Logan (Star Plus, Telecine) – 16+

 

Fica até difícil dizer para uma criança que ela não pode assistir ao filme do Wolverine. Mas, a não ser que você queria que seu pequeno veja sangue jorrando por todos os lados, melhor deixar as crianças longe da TV quando der play. No filme, a vida de Logan está pacata até que a pequena Laura entra na sua vida. Ela tem poderes, assim como ele, e busca outras crianças que também são mutantes e têm habilidades especiais.

 

Jojo Rabbit (Telecine) – 14+

 

Um menino nazista de 10 anos, cujo amigo imaginário é Adolf Hitler. A premissa de “Jojo Rabbit” pode parecer uma piada de mau gosto, mas o filme é uma crítica pesada, feita de forma leve e engraçada através dos olhos inocentes de uma criança. Apesar do filme ser excelente, inclusive garantindo a Taika Waititi o Oscar de Melhor Roteiro Adaptado, ele retrata a triste e violenta (mesmo que muitas vezes implícita) realidade da Segunda Guerra Mundial, da qual a gente pode poupar os mais novos, pelo menos até a chegada da adolescência.

 

South Park – Maior, Melhor e Sem Cortes (Globoplay) – 16+

 

O filme de “South Park” não foge muito do estilo da série de TV: conteúdo sexual, linguagem imprópria e violência. Os protagonistas são os meninos Stan, Kyle, Cartman e Kenny, fãs da dupla de comediantes canadenses Terrance e Philip, grandes nomes do humor escatológico. Os pais das crianças não gostam nada dessa nova modinha e iniciam uma guerra contra o Canadá. Além disso, Saddam Hussein e o próprio Diabo se juntam para tentar dominar o planeta. 

 

Uma curiosidade é que, apesar do título dizer que o filme não teve cortes, ele teve sim trechos censurados pela agência que controla a exibição de filmes nos Estados Unidos. Mas, segundo Matt Stone, um dos produtores do filme, “a cada parte que eles pediam para que retirássemos, nós fazíamos outra ainda pior”.