Festival Comunicurtas da UEPB divulga filmes selecionados para edição 2021

Comunicurtas 2021 acontece entre os dias 1 e 5 de dezembro na cidade de Campina Grande, no formato on-line e presencial.

Foto: Rizemberg Felipe
O Comunicurtas, Festival Audiovisual de Campina Grande da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), divulgou a relação dos filmes que concorrerão às mostras competitivas da 16º edição do festival. O Comunicurtas 2021 acontece entre os dias 1 e 5 de dezembro na cidade de Campina Grande, no formato on-line e presencial. Veja a lista dos filmes classificados
O festival terá a temática “Inventar a vida, viver a arte” e deve marcado pela exibição de 103 filmes, distribuídos nas mostras, “Território Liberdade”, “Longas Metragens Internacionais”, “Longas Nacionais”, “Mostra Filmes do Mundo”, “Mostra Brasil de Curtas Metragens”, “Mostra Tropeiros da Borborema”; “Tropiqueer”; “Som da Serra de Vídeo Clipes”, “Mostra Tropeiros de Telejornalismo”; “Estalo”, e “Mostra A Idéia é”.
Conforme o UEPB, o festival realizou cerca de 1.500 inscrições de filmes, entre curtas, longas, tele reportagens, peças publicitárias e vídeo clipes de várias partes do mundo. O coordenador geral do Comunicurtas e coordenador de comunicação da universidade, jornalista Hipólito Lucena, destacou a excelente qualidade dos filmes, que exigiu muito da Comissão responsável pela seleção. Hipólito enfatizou que este ano o festival terá uma grande cobertura feita por jornalistas de diversos estados do país, que já confirmaram presença no festival.
Algumas das mostras terão exibições no Teatro Municipal Severino Cabral, seguindo todos os protocolos sanitários como a obrigatoriedade do uso de máscaras e pessoas vacinadas; e no Museu de Arte Popular da Paraíba com sessões ao ar livre através de projeção mapeada na fachada do MAPP.
Na mostra de longas metragens nacionais, o Festival terá a presença de todos os diretores ou representantes. Já confirmaram presença Rubens Rewald, co-diretor junto a Jean-Claude Bernadet, do longa #eagoraoque”, Daniel Belmonte e Otávio Muller, diretor e protagonista de “Álbum em família”, o cultuado diretor baiano Aly Muritiba, que estará no festival com o filme “Jesus Kid”, Antônio Fargoni diretor do longa “Nós passarinho”, além de representantes paraibanos da equipe do filme “Achados não procurados”, da catarinense Fabi Penna.
A curadoria do festival ficou a cargo de Amilton Pinheiro, Hipolito Lucena e Francisco Haniel, além da direção artística de Rebeca Souza. Os curadores lembraram que após meses de extrema dificuldade em meio à crise da pandemia de Covid-19, levando mais de 600 mil pessoas à morte somente no Brasil, encontrar respiro no avanço da ciência e da vacinação em massa motivou a equipe a continuar o trabalho.
“Da dor tecemos a nossa luta e continuamos com o sentimento de que há um presente melhor por vir. Inventar a vida, viver a arte é o convite para que as nossas ideias ganhem formas e construam novas realidades, ampliando o mundo de possibilidades de viver, sonhar e ser. É uma imensa alegria partilhar com todos os contribuintes desta edição”, apontaram os curadores do Festival.
Considerado uma vitrine para os amantes da sétima arte, o Comunicurtas UEPB mais uma vez contará além dos tradicionais curtas-metragens, com a mostra de filmes em longa-metragem. A novidade desta 16ª edição será a de mostra de videoarte “Território Liberdade”, que presta homenagem ao artista contemporâneo Antônio Dias, autor da obra “Território Liberdade, Faça Você Mesmo”. O artista nasceu em Campina Grande, em 1944, produziu e morou em diversos países e se consagrou como referência para as artes visuais no Brasil numa longa carreira. Outro destaque desta edição é a grande participação de filmes estrangeiros, que ganham uma mostra de curtas e longas metragens.
O Comunicurtas é um laboratório para estudantes e novos profissionais do audiovisual paraibano, e conta o apoio da Secretaria de Cultura de Campina Grande, Teatro Municipal Severino Cabral, Cine São José, Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Campina Grande, Fundação Parque Tecnológico da Paraíba, Ypuarana Cultural e Polvo Consultoria. A realização é da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), através da Coordenadoria de Comunicação (CODECOM) e Departamento de Comunicação.
A proposta é abrir espaço para a divulgação e democratização da produção audiovisual, objetivando socializar e dar visibilidade à produção local e regional, especialmente, além de visar o reconhecimento dos profissionais da área.

Veja também  Museu do Artesanato Paraibano guarda história da arte e revive a cultura artística da Paraíba