Será que Steven Spielberg estragou West Side Story? Remake está pronto para estreia

Steven Spielberg refilmou West Side Story (no Brasil, Amor Sublime Amor). A estreia estava inicialmente prevista para o final de 2020, mas foi adiada por um ano por causa da pandemia do novo coronavírus. O remake está pronto, e sua estreia deve ocorrer até o final do ano. E só nos cinemas, como anuncia o trailer oficial (veja no final do post) já devidamente legendado em português.

Começo por Steven Spielberg. Como cinéfilo que sou, me orgulho de ter sido contemporâneo do início da sua trajetória. Ou seja: vi Encurralado na estreia no cinema. Filme perturbador realizado para a televisão, mas exibidos nos cinemas. O cara só tinha 24 anos quando o filme ficou pronto. O road movie Louca Escapada foi produzido para cinema, e o sucesso veio em seguida com Tubarão.

Spielberg é daqueles cineastas de trajetória longa e filmografia extensa. Extensa e, muito naturalmente, irregular. Não é demérito. É assim mesmo. Na sua produção, vamos encontrar alguns títulos absolutamente excepcionais, que valem muito mais do que esse ou aquele filme menor. Em Spielberg, que está às vésperas dos 75 anos, há mais virtudes do que defeitos, além do encontro perfeito entre os méritos artísticos e o êxito comercial.

Agora, West Side Story. Vou usar o original e não o título em português. A versão de 1961 é meu musical preferido. É o elo entre os musicais clássicos do cinema e os modernos. Tem a música extraordinária de Leonard Bernstein, as letras de Stephen Sondheim, as coreografias de Jerome Robbins e a direção de Robert Wise e de Robbins. Leva para o cinema o musical lançado quatro anos antes na Broadway.

Veja também  Estou duplamente vacinado e logo logo terei Aids. Quem disse foi o presidente Bolsonaro. Acabooou!

A história transpõe para a Nova York dos anos 1950 um pouco da tragédia de Romeu e Julieta, de Shakespeare. Dois grupos de jovens se enfrentam. De um lado, brancos anglo-americanos. Do outro, imigrantes porto-riquenhos. Neste, Maria (uma deslumbrante Natalie Wood), e, naquele, Tony, se encontram e são loucamente fisgados pelo amor. O resto seria spoiler.

West Side Story é uma obra-prima do cinema. Refilmar uma obra-prima é sempre tarefa árdua, mesmo que o diretor seja um mestre como Steven Spielberg. O que foi mantido? O que foi alterado? O que foi atualizado (o sonho americano, a vida dos imigrantes latinos – esses temas não foram diluídos pelo tempo)? O que Spielberg terá feito com West Side Story? Será que ele estragou o clássico de 60 anos atrás? Ou será que ele vai encantar os que amam o original de Wise e Robbins, como nós? Aguardemos. Logo, logo saberemos.