Indústria quer incentivos fiscais

Incentivos são para que as indústrias brasileiras possam investir em macânismos de desnvolvimento sustentável. 

O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, pediu ontem ao governo federal incentivos fiscais para que a indústria brasileira invista em mecanismos de desenvolvimento sustentável. Andrade participou do Encontro da Indústria para a Sustentabilidade, que reuniu 800 representantes da indústria brasileira. “Sugerimos que os governos estudem uma redução de impostos para quem realmente investe em responsabilidade ambiental. No Brasil, já tem incentivo para contratar, para assinar carteira e o que propomos é incentivar as empresas que tiverem compromisso com o meio ambiente”, afirmou Andrade.

Na sua visão, a transição brasileira para um modelo de produção mais sustentável “pressupõe custos e riscos, que devem ser minimizados por políticas públicas amplas de apoio às empresas”.

Robson Braga de Andrade afirmou ainda que a preocupação da indústria brasileira com a preservação ambiental, comprovada no documento divulgado no Encontro da Indústria para Sustentabilidade, não é prática de marketing. “As indústrias brasileiras não tratam da sustentabilidade como uma manifestação de boas intenções. Cada vez mais, incorporam seus princípios nos planos de negócios. Hoje, sustentabilidade e a necessidade de aumento da competitividade andam de mãos dadas”, assinalou.

Veja também  Decoração natalina econômica é alternativa para o Natal sem pesar no bolso

A ministra do Meio Ambiente destacou como fundamental a atuação da indústria na agenda da sustentabilidade. “Estamos saindo do idealismo para o pragmatismo. Esse é o desafio político. Estamos numa nova fase de diálogo entre indústria, governo e sociedade. Para a perfeita inclusão da indústria na agenda da sustentabilidade, teremos de ser criativos, não só com as grandes corporações, como também com as pequenas e médias empresas”, frisou Izabella Teixeira.

Questionada se o governo estava disposto a criar tais incentivos, a ministra Izabella Teixeira, que participou do evento, disse que isso não está sendo discutido no momento.