Mercado de ações continua estagnado

Dados da BM&F Bovespa, mostram que o número de investidores paraibanos na Bolsa, ficou estável em 2,656 mil durante o mês de julho.

A crise econômica internacional vem surtindo efeitos diretos no mercado acionário. A alta volatilidade (oscilações) da Bolsa de Valores nos últimos anos foi responsável por manter praticamente estável o número de investidores na Bolsa neste ano. O número de investidores paraibanos na Bovespa no mês de julho ficou estável em 2,656 mil, o mesmo número do mês anterior.

Sobre o mês de maio, o número representa ainda um leve crescimento em relação a maio, quando o mercado acionário somou 2,642 mil paraibanos investindo em ações na Bolsa.

Ainda de acordo com os dados da BM&FBovespa, os paraibanos participaram, em julho, com 0,21% dos R$ 107,3 bilhões movimentados na Bolsa de Valores brasileira, o que representa R$ 225,4 milhões do total do mês. Além disso, o número de investidores não cresce em 24 estados brasileiros desde 2010, ano no qual a Paraíba apresentou uma alta de 21,5% de participação no mercado de ações com relação ao ano anterior (em 2009, eram 2,283 mil pessoas no Estado).

As leves alterações na quantidade de investidores nos últimos sete meses é explicada pelo sócio-diretor da Futura Investimentos, Eduardo Malheiros, como um reflexo do período de instabilidade da Bolsa desde 2008. “Desde então, o mercado tem oscilado muito e não vem alcançando suas melhores marcas, que foram registradas entre 2006 e 2008, e isso afugenta os possíveis investidores”, disse. De 2005 a 2009, a Paraíba viveu uma expansão de quase 500%.

Veja também  Economizando desde cedo: 5 dicas de educação financeira para crianças

Segundo ele, os paraibanos que já investem na Bolsa não têm se desfeito de suas ações por um motivo muito simples: “Essa estagnação se deve por dois fatores. Quem já investe não quer vender suas ações pois elas estão desvalorizadas, o que implicaria na venda por um valor bem abaixo do que foi investido.

Em segundo lugar, quem ainda está de fora não se sente atraído devido às oscilações do mercado atualmente”, explicou. Para ele, o mercado acionário só será normalizado quando a crise europeia for solucionada. “Isso não é um problema que se resolva a curto prazo. Até o final deste ano mesmo, os recuos e altas devem continuar”, afirmou o especialista, que ainda disse que o primeiro semestre de 2012 chegou a apresentar altas na faixa dos 21%, bem como também uma queda de mais de 8%.

REDUÇÃO DE 106
De dezembro de 2010 até o último mês, 106 investidores paraibanos deixaram o mercado acionário.