Bancários aceitam proposta e descartam possibilidade de greve para este ano

Além de reajuste salarial, bancários garantiram manutenção de seus direitos.

Foto: Rizemberg Felipe/Arquivo

Após 14 rodadas de negociação, os bancários aceitaram a proposta realizada pelos bancos e, com isso, passam a descartar a possibilidade de greve este ano. O acordo aprovado garantiu um reajuste salarial de 1,5% para este ano mais um abono previsto para ser pago ainda este mês de R$ 2 mil e a previsão de aumento real, ou seja, de acordo com a inflação para 2021.

A categoria aprovou a proposta final negociada pelo Comando Nacional d@s Bancári@s com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Também foram aprovados os acordos coletivos dos bancos públicos (Caixa, Banco do Brasil, Banrisul e Banco do Nordeste).

Para o presidente do Sindicato dos Bancários na Paraíba, Lindonjhonson Almeida, a principal conquista da categoria foi a manutenção dos direitos da Convenção Coletiva e dos acordos específicos dos bancos públicos. “A gente entende que, no meio dessa pandemia, os bancários estão muitas vezes na linha de frente e nós precisávamos garantir que direitos como o vale alimentação, já conquistados, continuassem sendo respeitados. A campanha foi difícil, mas vitoriosa”, disse.

Segundo ele, a luta, agora, vai ser pela garantia dos bancos públicos, porém a possibilidade de greve está descartada. “Vamos lutar pela garantia dos bancos públicos, pois sabemos que existe um projeto de privatizar as instituições bancárias, mas vamos lutar para que os bancos continuem desempenhando seu papel público para a sociedade”, destacou.

 

2021

 

Para 2021, o acordo garante a reposição do INPC acumulado no período (1º de setembro de 2020 a 31 de agosto de 2021) e aumento real de 0,5% para salários e demais verbas como vale-alimentação e vale-refeição, assim como para os valores fixos e tetos da PLR. A proposta prevê ainda a manutenção de todas as cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho e dos acordos específicos de bancos públicos por dois anos.

 

Acordos

 

As assembleias também apuraram a aprovação dos acordos específicos firmados na negociação com os bancos públicos. Funcionários do Banco do Brasil registraram índice de 83,68% de aprovação. Na Caixa Econômica Federal, a aprovação foi de 70,82%; no BNB, de 88,86% e no Banrisul, de 94,44%.

Veja o índice de aprovação na base do Sindicato dos Bancários da Paraíba:

Bancos Privados 97,15%
Banco do Brasil 81,73%
Caixa Econômica Federal 84,67%
Banco do Nordeste do Brasil (BNB) 86,39%