Gasolina tem aumento anual de 27,96%, em João Pessoa, segundo Procon

Postos de combustíveis foram campeões em multas, totalizando 552 notificações e 73 autuações.

Petrobrás anuncia alta no preço do diesel. Foto: Reinaldo Canato/Agência Brasil

A gasolina comum registrou um percentual de aumento anual de 27,96% e média de preço de R$ 5,65, em João Pessoa, conforme a Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-PB). De janeiro a dezembro de 2021 foram feitas 41 fiscalizações em postos de combustíveis, e o setor foi um dos ‘campeões’ em notificações, com 552 no ano e ainda 73 autuações e multas que passam de R$ 553,7 mil.

Já na pesquisa de preços, o álcool apresentou uma média anual de R$ 4,64 e alta de 28,56% no decorrer do ano passado. O diesel comum fechou 2021 com média de R$ 4,53 e percentual de alta de 30,57%. Já o Gás Natural Veicular (GNV), o percentual de aumento de janeiro a dezembro do ano passado foi de 28,53% e a média anual de R$ 3,98.

Os principais motivos das autuações e notificações foram referentes à entrega de notas fiscais de compra e revendas dos produtos dos estabelecimentos quando dos reajustes de preços anunciados pelo Governo Federal; aumento extemporâneo nos preços e sem justificativa, ausência de fornecimento do cupom fiscal ao consumidor, além das operações para verificação dos equipamentos, a exemplo do bom funcionamento das bombas, algumas em conjunto com outros órgãos, como a Operação Petróleo Real com o Inmetro e com o Imeq-PB.

Veja também  Auxílio Brasil: parcela de maio é paga para beneficiários com NIS final 1

Os números

 

O secretário Rougger Guerra explicou os números. “Quando se trata do cuidado para que haja um maior equilíbrio na relação consumo, os postos de combustíveis ficam em evidência devido às especificidades do segmento. Por serem produtos que estão presentes no dia a dia do consumidor e que no ano passado sofreram diversas alterações nos preços para mais, nossa fiscalização teve que atuar de forma mais contundente para evitar que houvesse abusividade e o consumidor fosse lesado de alguma forma”, afirmou.