Conta de luz continua sem cobrança extra em julho, diz Aneel

Bandeira verde na conta de luz está em vigor desde 16 de abril. Estimativa da Aneel é que tarifa continue sendo aplicada até dezembro deste ano.

Foto: Energisa/Divulgação

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu nesta sexta-feira (24) que a bandeira verde continuará em vigor em julho. Com isso, a conta de luz segue sem cobrança adicional por mais um mês.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado pela Aneel para sinalizar o custo da geração de energia. No final de todo mês, a agência decide a cor da bandeira para o mês seguinte na conta de luz.

Quando o custo da produção de energia aumenta, por exemplo, por conta do acionamento de usinas térmicas (mais poluentes e mais caras), a Aneel pode acionar as bandeiras amarela, vermelha patamar 1 ou 2 — que representam custo extra ao consumidor.

A expectativa da Aneel é que a bandeira verde continue vigente ao longo deste ano, dada à recuperação dos reservatórios das hidrelétricas.

Bandeiras tarifárias na conta de luz são reajustadas em até 64%

Nesta semana, as bandeiras tarifárias na conta de luz sofreram reajuste de até 64%. Os aumentos podem chegar até aproximadamente 64%, dependendo da bandeira que estiver em vigor.

Veja também  Auxílio Brasil: parcela de agosto é paga para beneficiários com NIS final 4

Verde é a cor da atual bandeira vigente, ou seja, os consumidores ainda não terão de arcar com custos adicionais em suas contas de luz, afinal estes valores são cobrados a partir da bandeira amarela, somente quando houver escassez híbrida ou algum fator que aumente o custo da produção elétrica no país.

A partir de 1º de julho o reajuste começará a valer em todo território nacional e será reavaliado em meados de 2023.

Novos valores das bandeiras tarifárias

  • Bandeira verde: sem cobrança adicional;
  • Bandeira amarela: +59,5%, de R$ 1,874 para R$ 2,989 por megawatt-hora (MWh);
  • Bandeira vermelha patamar 1: +63,7%, de R$ 3,971 para R$ 6,500 por megawatt-hora (MWh);
  • Bandeira vermelha patamar 2: +3,2%, de R$ 9,492 para R$ 9,795 por megawatt-hora (MWh).