Camila Esposte
Láuriston Pinheiro

Empresas apostam no ‘edutainment’ para dialogar com os pequenos.

De acordo com a Winnin, empresa de coleta de dados e insights para marcas por meio do consumo digital, é cada vez mais comum as empresas  recorrerem ao conceito de edutainment, ou seja, conteúdo para educar e divertir, como o objetivo de  dialogar com o público infantil.

A empresa elaborou o relatório “Uma história sobre aprender cantando: Como ser relevante no universo infantil online?” para mostrar a potência do conteúdo infantil no digital, como a categoria vem crescendo de forma exponencial e de que forma as marcas estão aproveitando para se conectar de forma educativa com o público.

O relatório cita algumas marcas relevantes nesse quesito, como a Lego, que cria conteúdo com as canções do filme Uma Aventura Lego e une diversas gerações com seus brinquedos; a Disney, que faz uso das suas trilhas sonoras, como “Let It Go”, de Frozen: Uma Aventura Congelante; Gloob, que foca em entretenimento educativo e criativo também com músicas de seus desenhos; e a Danoninho, que fez uma parceria com o Mundo Bita para levar música e entretenimento para as crianças.

Veja também  Finalista em 16 categorias, Globo leva sete prêmios no New York Festival.

Número de visualizações

Ao contrário dos adultos, as crianças costumam assistir ao mesmo conteúdo diversas vezes, o que gera um volume de visualizações bem maior nesta categoria do que outros segmentos. Até outubro de 2020, o segmento de vídeos infantis recebeu mais de 700 milhões de visualizações, no YouTube, Facebook e Instagram  e existe uma tendência de que esses números continuem crescendo.

Fonte: Meio e Mensgaem