Camila Esposte
Láuriston Pinheiro

Startup na Paraíba receberá 10 milhões em investimentos

Sediada em João Pessoa, Dome Ventures destinará o valor para a sustentação e administração de toda a operação, com o objetivo de fomentar um total de 30 startups.

Dome Ventures é a primeira Corporate Venture Builder destinada ao ecossistema govtech no Brasil, com sede na cidade de João Pessoa. Foto: Carlos Muza /Unsplash
A startup Dome Ventures, primeira Corporate Venture Builder destinada ao ecossistema govtech no Brasil, com sede na cidade de João Pessoa, receberá R$10 milhões em investimento.
O valor será destinado para a sustentação e administração de toda a operação, com o objetivo de fomentar um total de 30 startups. Para 2022, a empresa espera a projeção de 100% de crescimento, chegando à casa dos R$20.000,00.
A Dome Ventures surge para aproximar investidores, clientes e networking para startups e facilitar o desenvolvimento de novas soluções. A iniciativa também conta com a participação da holding company Alfa Group.
Além da cidade de João Pessoa, a Dome Ventures atuará nas filiais de Brasília (DF), Recife (PE) e São José dos Campos (SP), em busca de novas startups com negócios inovadores.
Histórico
A Dome Ventures foi idealizada pela FCJ Venture Builder, uma multinacional pioneira em venture building na América Latina.
Contou com o apoio da Alfa Group, uma holding company que oferta soluções de tecnologia e pesquisa de mercado, e também Gabriela Rollemberg Advocacia, escritório conceituado nacionalmente na área de Direito Eleitoral e por Mariana Teles Advogada; Sócia da MT Soluções em Compliance.
O objetivo do projeto é desenvolver soluções inovadoras para os departamentos de governo, levando inovação e transformação tecnológica ágil para o setor.

A govtech contará com o suporte da FCJ, que irá oferecer às startups infraestrutura, know-how, acesso a canais de mercado, rede de mentores, modelagem de negócios, serviços contábeis e jurídicos, além de suporte nas áreas de marketing, vendas e produto.

Para Paulo Justino, CEO e fundador da FCJ Venture Builder, “o marco legal das startups trará uma desburocratização intensa, e esse é o momento de ajudar as startups e a sociedade”.
Ademais, “serão selecionadas as startups que terão um potencial de valuation de R$ 60 milhões em cinco ou seis anos, e existe uma estrutura para avaliar esse potencial”, afirma Diogo Catão, CEO da Dome Ventures.

Sobre a FCJ Venture Builder  

Criada em 2013 em Belo Horizonte (MG), a venture builder é uma multinacional que conecta investidores, startups, corporações e universidades para desenvolver negócios inovadores que impactam a vida das pessoas.

Com o objetivo de impactar o ecossistema de inovação do Brasil, hoje é a líder do segmento na América Latina e possui venture builders espalhadas pelo mundo. Mais informações, acesse: https://fcjventurebuilder.com/ 

Veja também  Moda apresenta sinais de recuperação