Muricy comemora o gol feito fora de casa

Jogo de volta contra o Bolívar está marcado para próximo dia 10 de maio, Caso o Santos ganhe por 2 a 1, a vaga sai após cobranças de pênaltis.

Apesar de ter sido derrotado pelo Bolívar (Bolívia), por 2 a 1, na noite da última quarta-feira, no Estádio Hernando Siles, o Santos não saiu preocupado excessivamente com o resultado. Segundo o técnico Muricy Ramalho, o gol marcado pela equipe em La Paz pode contribuir decisivamente para a classificação santista, no jogo de volta, marcado para o dia 10 de maio, provavelmente na Vila Belmiro.

“Ninguém quer perder, mas o importante é que conseguimos um gol fora. Isso é super importante para a volta”, disse Muricy, para depois analisar as dificuldades encontradas pelo Peixe na altitude de 3.660 metros da capital boliviana.

“Como sempre, jogar aqui é difícil. É complicado jogar quando não se tem igualdade física entre as duas equipes. No entanto, suportamos bem e poderíamos até ter saído com um resultado melhor. Afinal, nós tomamos dois de bola parada”, comentou.

Derrotado na altitude de La Paz, o Alvinegro Praiano precisa vencer apenas por 1 a 0 na volta, para chegar às quartas de final da Libertadores. Caso o Santos ganhe por 2 a 1, a vaga sai após cobranças de pênaltis. E se os bolivianos marcarem duas vezes como visitantes, o Peixe terá de vencer por dois ou mais gols de diferença para seguir adiante na competição.

Veja também  Sousa faz valer o mando de campo, vence o CSA e estreia bem na Copa do Nordeste

FALTA DE SORTE
O goleiro Rafael, que no primeiro gol de La Academia, viu o chute do meia Campos bater na trave e nas suas costas, antes de entrar, lamentou o tento sofrido, classificando-o como um “golpe de azar”.

“Na altitude é mais complicado, porque a bola fica muito mais rápida. No primeiro gol deles, tive uma infelicidade, pois a bola bateu nas minhas costas e entrou”, afirmou o camisa 1 do Peixe, para depois elogiar o segundo gol dos bolivianos, em nova cobrança de falta de Campos. “O outro foi mérito dele”, destacou o goleiro, que também confia na reabilitação jogando na Vila Belmiro.