Entre Linhas

Gramado ruim do PV é apenas um dos problemas a serem resolvidos pela próxima diretoria do Treze

Precária condição do campo ficou explícita na partida da base do Treze pela Copa Carpina, que teve início no último fim de semana. Estádio do Galo é sede da competição.

(Foto: Reprodução / Redes Sociais)

Há praticamente um mês, a bola parou de rolar para o Treze na temporada 2021. O clube acumulou insucessos dentro das quatro linhas e, fora delas, vários problemas de cunho financeiro e administrativo se acumularam ao ponto de tornar insustentável a situação da Diretoria Executiva, que renunciou ao cargo e abriu espaço para a convocação de novas eleições. Um dos vários gargalos identificados no clube do bairro do São José é a atual situação do gramado do Estádio Presidente Vargas, que chocou boa parte da torcida trezeana que acompanhou a última partida do time sub-17 do Alvinegro, que disputa a Copa Carpina. 

O Galo da Borborema atravessa uma das mais severas crises dos últimos anos. Com apenas o Campeonato Paraibano no calendário para 2022, o Treze terá que se desdobrar para montar uma equipe que permita ao time, ao menos, chegar às finais do estadual e assim conseguir um calendário mais encorpado para a temporada de 2023. Olavo Rodrigues, que deve assumir o clube em mandato tampão após as eleições do próximo sábado, dia 13, já manifestou o desejo de, através de apoio do próprio torcedor por meio da viabilização de um plano de Sócio Torcedor acessível, organizar as finanças galistas e montar uma equipe minimamente competitiva para a disputa do estadual.

Gramado PV
Gramado do Estádio Presidente Vargas sempre foi referência na região (Foto: Expedito Madruga / ge)

Não foi explicitado (pelo menos de forma oficial) o tamanho das dívidas com as quais o clube terá que arcar. O que se sabe, no entanto, é que não será nada fácil colocá-las em dia. Uma forma de “economizar” recursos é jogar em sua casa, no Estádio Presidente Vargas, que, por sinal, sempre foi motivo de orgulho para o torcedor, por ser a única praça esportiva particular das grandes equipes da Paraíba.

O retorno das partidas galistas ao PV, outro desejo do provável futuro presidente, Olavo Rodrigues, só será viabilizado após um trabalho intenso de reforma no gramado, semelhante ao que aconteceu na última década, mais especificamente em 2013, quando o estádio foi palco da remontada alvinegra na Série C. À época, a equipe, comandada pelo então auxiliar Luciano Silva, saiu da zona de rebaixamento direto para o jogo do acesso à 2ª divisão do Campeonato Brasileiro, contra o Vila Nova-GO. Vale lembrar que a última vez que o Galo disputou uma partida no PV foi no dia 15 de março de 2020, quando bateu o Sousa por 2 a 1, pelo Campeonato Paraibano. 

Se as reformas acontecerão e quando terão início, isso ninguém (até o momento) sabe. O que se sabe é que a péssima condição do gramado do Presidente Vargas é apenas um dos grandes leões que a nova Diretoria Executiva terá que encarar muito em breve, uma vez que o desejo da Confederação Brasileira de Futebol é que os estaduais no país tenham início no dia 26 de janeiro. Logo, daqui a pouco mais de 70 dias, muitas das incógnitas que circundam a cabeça dos torcedores serão, enfim, dissipadas.