Jovens são as principais vítimas

Principais vítimas de afogamento são crianças ou adolescentes.

As irmãs Fernanda da Silva Souza, 13 anos, e Maria Vitória da Silva Souza, 16 anos, e a amiga Maria Vitória dos Santos Gomes, 13 anos, se afogaram no rio Sanhauá no dia 28 de janeiro. As três não sabiam nadar e mesmo assim, decidiram entrar no rio para se divertir. A correnteza do rio aliada à presença de galhos e pedras podem ter contribuído para que as garotas se afogassem.

Já no primeiro dia deste ano, os irmãos Wellington da Silva Santos, 26 anos, e Wallisson da Silva Santos, 21 anos, saíram de Campina Grande para aproveitar o Réveillon no Bessa, em João Pessoa. Após uns mergulhos, os dois se afogaram. Um coronel do Exército percebeu o afogamento e ainda tentou salvá-los, porém, Wellington não resistiu, já Wallisson se salvou.

Veja também  Paraíba tem a oitava pior perda de qualidade de vida do Brasil, aponta estudo do IBGE

Na tarde da última quinta-feira mais duas jovens foram vítimas de afogamento em um açude próximo a Remígio. As irmãs de 11 e 15 anos tomavam banho no reservatório, no sítio ‘Capim de Cheiro’, quando acabaram morrendo afogadas. Os corpos de Josicleide de Jesus Nascimento e Maria Joedna Nascimento foram encontrados boiando por populares e retirados do reservatório pelo Corpo de Bombeiros.