TJ já recebeu 2.427 solicitações de medidas protetivas para mulheres em 2021

Dados são referentes a apenas os dois primeiros meses do ano.

Foto: Divulgação/TJPB
Foto: Divulgação/TJPB

O ano de 2021 mal começou e o Tribunal de Justiça da Paraíba já registrou 2.427 solicitações de medidas protetivas feitas por mulheres que vinham sofrendo algum tipo de violência doméstica. O balanço é da Coordenadoria da Mulher da institução e diz respeito aos meses de janeiro e fevereiro.

A juíza Graziela Queiroga, que comanda a Coordenaria da Mulher, explica que apesar das dificuldades impostas pela pandemia, o TJPB vem funcionando de forma remota e semipresencial para não deixar as mulheres desamparadas. E ressaltou que os números revelam uma cruel realidade sobre a violência contra a mulher, muitas vezes registrada dentro de casa.

“Temos que trabalhar para combater esse tipo de violência, dando celeridade aos julgamentos”, destacou.

Veja também  Biliu de Campina é internado novamente após apresentar edema pulmonar

Ela explicou também, inclusive, que as solicitações de medidas protetivas permanecem sendo analisadas pelos juízes e que os cumprimentos das decisões estão sendo efetuados por meios eletrônicos.

Graziela Queiroga lembrou também que o TJPB mantém parcerias com a Rede de Proteção às Vítimas da Violência, dando orientações e realizando campanhas nas redes sociais voltadas à conscientização da população.

Ela lembra que a Delegacia Online (www.delegaciaonline.pb.gov.br) pode ser utilizada para os casos de violência doméstica e solicitação de medidas protetivas de urgência em casos que não envolvam a violência física ou sexual.

Além disso, a população pode utilizar os números 190 (Polícia Militar), 197 (Polícia Civil) e 123 (Disque Violência) para denunciar casos de violências física, sexual, psicológica, moral e patrimonial.