Médico da PB processa Mayra Cardi e pede indenização após defesa de jejum

Valor deve ser destinado para instituições que tratam de pessoas com distúrbios alimentares.

Publicação em que a influenciadora defende o jejum de 7 dias/ Foto: Reprodução
Publicação em que a influenciadora defende o jejum de 7 dias/ Foto: Reprodução

O médico nutrólogo radicado na Paraíba Bruno Cosme Araújo de Oliveira processou a influenciadora digital Mayra Cardi por injúria e difamação. O embate entre os dois teve início pela internet, em redes sociais, após o profissional de saúde criticar o jejum de sete dias defendido por ela.

De acordo com Bruno, o procedimento divulgado por Mayra é “totalmente desprovido de evidências científicas”.

A opinião do nutrólogo, no entanto, desagradou Cardi, que teria rebatido as críticas do médico com xingamentos e questionando a competência dele para se manifestar sobre o jejum.

De acordo com o processo, Mayra teria alegado que a finalidade do jejum era espiritual. Mas ao terminar o período em que não se alimentou, começou a relacionar a prática com o emagrecimento, que é um dos nichos profissionais em que ela atua.

Desde o início das publicações feitas na internet, Mayra passou a receber críticas sobre o jejum. A Associação Brasileira de Nutrição (Asbran), inclusive, não recomenda a prática. Mas, a influenciadora teria direcionado ofensas apenas para o médico.

Veja também  Cerca de 35 mil passageiros devem embarcar neste São João na Rodoviária de João Pessoa

“(…) falar até papagaio fala, né? E porque é que eu tô falando isso, é, eu acabei de receber uma pessoa que me mandou um doutor de merda, um doutor de merda, chama Bruno alguma coisa, falando mal do jejum, falando merda”, disse a influenciadora em um vídeo, conforme relatado no processo.

Por isso, os advogados do médico pedem uma indenização por danos morais. Se ele ganhar a causa, o valor que será decidido em juízo, vai ser destinado para instituições filantrópicas que tratam pacientes com distúrbios alimentares.

A ação também pede que Mayra publique a sentença em seus perfis de redes sociais, como forma de compensar as ofensas e questionamentos que foram dirigidos a Bruno.

O Jornal da Paraíba entrou em contato com a equipe da influenciadora, mas até a publicação desta matéria, não teve o e-mail respondido.