Projeto propõe piso salarial de R$ 5,5 mil para fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais

Por ANGÉLICA NUNES e LAERTE CERQUEIRA

 

Foto: divulgação/Secom-PB

O deputado federal Wilson Santiago apresentou à Câmara Federal um projeto de lei que estabelece o piso salarial de R$ 5,5 mil para fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais em todo o país. O valor, destaca ele, equivalente a cinco salários mínimos atualmente em vigor.

De acordo com o projeto, o valor do piso salarial deverá ser reajustado anualmente, conforme variação acumulada do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), calculado nos últimos 12 meses pelo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na prática, a proposta altera a Lei 8.856/1994, que regulamenta a profissão e não trata sobre o piso salarial, somente estabelece uma jornada de trabalho de 30 horas semanais. O projeto apresentado por Wilson Santiago prevê que o piso salarial seja pago em todos os órgãos da União, Estados, Distrito Federal e municípios, nas unidades públicas e privadas.

Veja também  Paraíba registra mais de 500 casos e uma morte por Covid-19 nesta sexta-feira (14)

“Em decorrência dos baixos salários, os profissionais chegam a ter duas ou até três jornadas para ter uma renda melhor. Iremos lutar junto ao Congresso para que todos possam ter a garantia de um piso e consequentemente uma menor jornada de trabalho. Isso possibilitará mais qualidade no trabalho e tempo para que eles possam se qualificar”, argumentou.

Pandemia

O deputado ainda lembrou da importância desses profissionais durante o período de pandemia, já que o trabalho deles é essencial para evitar complicações cardiorrespiratórias em pacientes hospitalizados e a restaurar a capacidade pulmonar e motora de quem já foi curado da Covid-19.

“Durante a pandemia, muitos profissionais estão tendo jornadas de trabalho exaustivas no atendimento a pacientes acometidos pela Covid-19. É necessário que esses profissionais sejam reconhecidos e valorizados com uma jornada de trabalho adequada, salário justo e piso unificado”, acrescentou o deputado.