Vereador se recusa a fazer teste de Covid-19 na Câmara de Campina Grande

Alexandre do Sindicato (PSD) também defendeu medicamentos sem eficácia.

Vereador Alexandre do Sindicato

O vereador Alexandre do Sindicato (PSD) se recusou a participar de uma ação de testagem em massa para o diagnóstico da Covid-19, realizada na Câmara Municipal de Campina Grande, nesta quarta-feira (19).

A negativa foi anunciada enquanto ele fazia uma pronunciamento na tribuna da Poder Legislativo durante uma sessão, que acontecia no formato híbrido.

“Parabenizar a Secretaria de Saúde que na manhã de hoje tá fazendo uma testagem dos funcionários, dos assessores, dos vereadores que assim o queiram. Eu como sou negativista, não vou fazer”, iniciou.

Depois, o parlamentar continuou o discurso se posicionando sobre a vacinação contra a doença e reforçou que não faria o exame.

“Eu sou totalmente avesso, sou muito mais da invermectina, e azitromicina, chá de hortelã e limão galego. Quem quiser tomar minha vacina vá à frente tomar minha vaga, pode se vacinar, fazer testagem, ocupem minha vaga na questão da testagem”, concluiu.

O Jornal da Paraíba entrou em contato com a assessoria do presidente do parlamento campinense, Marinaldo Cardoso (Republicanos), que optou por não confirmar se Alexandre fez o teste. No entanto, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que realizou a ação no local, informou que ele não passou pelo exame.

O vereador Alexandre do Sindicato não atendeu as ligações e nem respondeu as mensagens enviadas pela equipe do Jornal da Paraíba até 18h desta quarta.

Em uma nota de esclarecimento sobre os comentários sobre a vacinação e o uso inadequado de medicamentos contra a doença, ele disse que foi irônico e mal interpretado (veja a íntegra da nota no fim desta notícia).

Sessões híbridas e testes para detecção do novo coronavírus

A assessoria de comunicação da presidência da Câmara informou que as sessões em formato híbrido foram retomadas no último dia 4 de maio.

Para evitar a propagação da Covid-19 no ambiente legislativo, uma testagem de vereadores e servidores será feita a cada 15 dias.

Sobre o posicionamento de Alexandre, Marinaldo Cardoso informou que “apoia plenamente não apenas a vacinação, mas todas as medidas orientadas pelas autoridades competentes, que devem ser rigorosamente seguidas pela população”.

Íntegra da nota de esclarecimento

O vereador Alexandre do Sindicato (PSD) vem a público esclarecer sua surpresa diante da repercussão dada a um trecho de sua fala na tribuna durante a sessão desta quarta-feira, 19/05, na Câmara Municipal de Campina Grande a respeito da vacinação.

Alexandre explica que, evidentemente, estava sendo irônico em suas declarações, feitas enquanto falava sobre o trabalho de organização realizado pela prefeitura para o atendimento das pessoas a serem vacinadas.

“É claro que não sou contra a vacina, pelo contrário, em breve espero tomar a primeira dose, até porque tenho comorbidades. É evidente que sou defensor da vacinação. Não por acaso sou um vereador que todos os dias estou acompanhando o trabalho da Secretaria de Saúde, ouvindo as pessoas, buscando colaborar com eventuais ajustes no processo. Não por acaso fiz falas pedindo prioridades na vacinação para categorias como os garis”, disse.

Alexandre ainda relatou que sua declaração foi colocada dentro de um contexto completamente diferente, que não poderia aparecer no vídeo que está sendo divulgado.

“O vídeo não mostra o contexto da minha fala, pois estávamos conversando entre vereadores no plenário, um pouco antes, sobre o medo de ter reações decorrentes da vacina, como tem acontecido com muita gente, e foi nesse sentido que fiz o comentário, em tom irônico e exagerado, por causa do medo das reações. Pode-se perceber até pelas minhas expressões faciais que se tratava de uma ironia”, frisou.

Alexandre do Sindicato confirmou reconhecer que o comentário, sem a compreensão do contexto, pode gerar interpretações equivocadas, razão pela qual lamenta o ocorrido, destacando, no entanto, sua postura de esforço e trabalho para auxiliar a população de Campina Grande em meio à crise da pandemia como um testemunho daquilo que realmente pensa e defende.

“Lamento se a ironia foi mal interpretada, mas não admito que esse fato seja usado, como está acontecendo, por alguns que na verdade odeiam o nosso trabalho e a pauta que defendo, pois sou um vereador que jamais se acovardou, que mesmo tendo comorbidades graves não fiquei um único dia dentro de casa, porque jamais deixaria de atender ao chamado das pessoas. Meu trabalho fala mais que palavras mal entendidas”, afirmou.

 

Veja também  Paraíba tem 444.568 casos de Covid-19 e 9.386 mortes confirmadas pela doença