Efraim critica “quebra” da estabilidade, mas afirma que Reforma Administrativa prepara o serviço público para o futuro

Por ANGÉLICA NUNES e LAERTE CERQUEIRA

 

Foto: divulgação

O deputado federal Efraim Filho (DEM), líder da bancada da Paraíba no Congresso Nacional, criticou o “quebra da estabilidade” do servidor público, proposta que está na Reforma Administrativa, que começou a ser debatida na Câmara dos Deputados. Apesar do posicionamento, de maneira geral, ele acredita que a Reforma vai preparar o serviço público para os desafios do futuro.

Efraim disse que ela ainda vai gerar ainda mais ruído, porém deve votar favorável porque ela tem pontos positivos como o de não ferir nenhum tipo de direito adquirido, como a estabilidade do servidor público. “Só valerá para quem entrar no serviço público da data da promulgação em diante”, disse.

As declarações foram dadas, na manhã de desta quarta-feira (09), em entrevista à CBN João Pessoa. O democrata também se posicionou favorável à Reforma Tributária, apresentada pelo paraibano Aguinaldo Ribeiro (PP), relator da proposta mais completa no Congresso. Para ele, a reforma “fatiada”, como quer o ministro da Economia Paulo Guedes e o presidente da Câmara, Arthur Lira, é “piorar o que já está péssimo”.

“O importante é ter coragem de dar esse passo à frente, simplificar, desburocratizar, se possível reduzir a carga tributária que pesa muito nos ombros de quem produz no Brasil, de quem empreende, de quem gera emprego e renda é o melhor caminho possível”, comentou.

O deputado defendeu à privatização da Eletrobrás, admitiu que tem um movimento em Brasília favorável ao debate sobre a impressão do voto na urna eletrônica.

Veja também  Detran-PB suspende transferência de veículos de outros estados no mês de dezembro

Na entrevista, ele ainda registrou o papel do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na pandemia, destacando a vacinação e criticou o governo que, segundo ele, demorou para disponibilizar os imunizantes a população. “Mas agora é hora de olhar para frente”, diz.

Sobre as Eleições 2022, Efraim afirmou que não tem a menor possibilidade de abandonar o projeto de disputar o Senado, ainda que isso custe as alianças atualmente postas.  Ou seja, dá para interpretar que se for preterido, pode colocar na “roda” até a aliança com o governador João Azevêdo (Cidadania).

Confira aqui a entrevista completa com Efraim Filho à CBN:

 

  1. Reforma tributária – 0’40”
  2. Reforma Administrativa – 2’13”
  3. Eletrobrás – 4’16”
  4. Voto Impresso – 6’00”
  5. Marcelo Queiroga – 8’30”
  6. Eleições 2022 – 12’23