CRM constata superlotação e falta de insumos básicos no Trauminha, em JP

Pacientes estavam há dias em macas, nos corredores, esperando por atendimentos, segundo o CRM-PB.

Foto: Divulgação/CRM-PB
Foto: Divulgação/CRM-PB

Uma fiscalização do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), realizada na quarta-feira (9), encontrou superlotação e falta de insumos básicos para realização de procedimentos médicos no Hospital de Ortotrauma de Mangabeira, o Trauminha, em João Pessoa.

Segundo o CRM, durante a vistoria doze pacientes estavam em macas, nos corredores do hospital. Eles relataram que estavam há mais de cinco dias aguardando vaga no setor de enfermaria.

Também foi constatada a falta de insumos básicos, como luvas, fios de sutura, drenos e medicamentos, o que teria provocado a suspensão de procedimentos cirúrgicos.

Foto: Divulgação/CRM-PB

Ainda de acordo com o CRM, o hospital apresenta diversos problemas de infraestrutura, e apesar da reforma em alguns setores, outros apresentam mofo nas paredes e no teto, como a ortopedia, o repouso médico e o setor de imagem.

Há, ainda, um buraco no teto sobre a passarela de acesso às enfermarias da ortopedia, ocasionando acúmulo de água. Os elevadores do hospital estão desativados há mais de um ano.

Veja também  Notícias de hoje: protesto na Pedro II, Campinense rebaixado e morte de Leandro Lo

Na sala de medicação, todas as poltronas estavam ocupadas por pacientes que estavam no local há horas ou até uma semana, esperando por cirurgia ortopédica. O local, portanto, era usado para pacientes que deveriam estar em enfermarias.

O aparelho de ultrassonografia está quebrado e foi recolhido para manutenção, e por isso a realização desse exame foi suspensa. O abastecimento de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) estava em ordem, mas faltava luvas em alguns tamanhos, e outras estavam em mau estado de armazenamento.

O CRM-PB encaminhou um relatório da fiscalização para a direção do hospital e para a Secretaria Municipal de Saúde de João Pessoa. Os gestores têm cinco dias para adquirir os insumos essenciais, e 15 dias para apresentar um planejamento permanente.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde de João Pessoa afirmou que está tomando as providências necessárias para solucionar os problemas constatados, e que uma nova área de enfermaria está sendo finalizada para acomodar os pacientes de forma mais confortável.