Dona de casa com quase 200 kg se recupera da Covid-19 após 9 dias em UTI

Por causa do excesso de peso, Maria Janileide teve muita dificuldade na recuperação.

Reprodução/TV Paraíba
Reprodução/TV Paraíba

“Inacreditável! Um verdadeiro milagre!” foi o que muitos disseram quando viram Maria Janileide, de 31 anos, saindo do hospital após se recuperar da Covid-19. Foram 18 dias de internação, nove deles na UTI do Hospital Pedro I, em Campina Grande. Com quase 200 kg, por causa do excesso de peso a paraibana teve muita dificuldade durante a recuperação.

Segundo Maria Janileide, quando mais precisava ela não conseguiu ser intubada na UTI por causa do excesso de peso, que a impediu também de fazer raio-X do pulmão.

Reprodução/TV Paraíba

“Eu comecei tendo uma tosse, eu achava que era uma gripe, uma virose e fiquei em casa até com medo de ir pro hospital mesmo. Tinha medo de ser Covid, de precisar ser intubada e morrer. Mas eu não aguentei, tava muito cansada, então minha irmã chamou o Samu e me levaram”, relata.

“Pra mim é grande vitória ela ter vencido a Covid, porque a gente não esperava que voltasse pra casa, a realidade é essa. Então só tenho a agradecer a Deus e a equipe, os próprios médicos disseram que foi um milagre”, diz o irmão de Maria, Rosivaldo Ferreira.

Agora Maria Janileide espera vencer outro desafio: a obesidade. O caminho apontado pelos médicos é a cirurgia bariátrica. Mas a família não tem condições de arcar com os custos do procedimento. Foi então que eles tiveram a ideia de fazer uma campanha para conseguir arrecadar os recursos para que ela possa voltar a ter autoestima e alegria de viver.

Maria ainda tentou a cirurgia pelo SUS, mas o tratamento foi interrompido por causa da pandemia. “É muito alto o custo da cirurgia, o acompanhamento com médicos, os exames e infelizmente nós não temos condições, nem eu nem minha família”.

Reprodução/TV Paraíba

Veja também  Imagem de Nossa Senhora da Penha faz peregrinação por João Pessoa neste sábado (27)

História comoveu equipe médica

A história de Maria comoveu uma equipe médica especializada em bariátrica, que se ofereceu para fazer a cirurgia de graça, desde o cirurgião até o anestesista. O médico Eduardo Pachu, que se solidarizou com a história dela, explica porquê a cirurgia de redução do estômago é indicada para casos como o dela.

“Obesidade muita gente acha que é por culpa do paciente, mas pouca gente sabe que a obesidade é uma doença. Obesidade é uma tendência genética que o paciente tem, principalmente um paciente desse que chega na super obesidade e traz consigo várias outras doenças como diabetes, associada com 239 doenças catalogadas. Então hoje o tratamento pra obesidade parte desde o tratamento clínico até o tratamento cirúrgico”, salienta.

A nutricionista que está acompanhando a dona de casa, Ana Paula Moreira, revela que fez bariátrica anos atrás e que se sente feliz em poder ajudar Maria. “Eu sei na pele o que ela tá sentindo, então eu não posso assistir de camarote, podendo ajudar e não ajudar. Iniciei com um tratamento nutricional, tô trabalhando com ela uma dieta pré-operatório bem bacana”.

De acordo com a psicóloga Elaine Pachu, é muito importante o acompanhamento psicológico nesse caso. “Como existem muitas mudanças de hábitos, comportamental, em função de uma cirurgia dessa, a equipe de profissionais vai podê-la conduzir melhor nesse processo”, destaca.

Apesar da ajuda dos profissionais, os custos com exames, despesas hospitalares, material cirúrgico e suplementação nutricional somam quase 15 mil reais. A campanha espera arrecadar esse valor através de uma “vakinha online” que a família de Maria começou na internet, um sonho que ela e a filha esperam ansiosas para poder realizar juntas.

“Espero que ela consiga a cirurgia e consiga ter uma vida nova”, diz a filha de Maria Janileide, Ana Clara Ferreira, de 14 anos.