Movimento social ‘ocupa’ gabinete do prefeito de João Pessoa para cobrar cestas básicas

Principal reivindicação foi um projeto de doação de cestas básicas para lidar com a insegurança alimentar causada pela pandemia. 

MLB ocupou gabinete do prefeito de João Pessoa (Joyce Moura/MLB)

Lideranças de movimentos sociais e representantes do prefeito Cícero Lucena se reuniram na manhã desta sexta-feira (27). O ato foi organizado por famílias integrantes do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas da Paraíba (MLB), tendo como principal reivindicação  um projeto de doação de cestas básicas para lidar com a insegurança alimentar causada pela pandemia. 

Cerca de 70 famílias da comunidade Citex, no bairro João Paulo II, ocuparam o gabinete do prefeito Cícero Lucena reivindicando cestas básicas e abertura de um canal permanente sobre a política habitacional da Prefeitura. Em duas outras oportunidades os movimentos de moradia da capital já haviam conversado com a gestão municipal sobre os temas, mas “nada de concreto foi desenvolvido a partir das demandas apresentadas”, relata João Batista, coordenador do MLB-PB. 

Hoje, uma comissão formada pela Coordenação do MLB e por representantes da comunidade foi atendida pelo secretário de Gestão Governamental, DiegoTavares, e pela secretária de Habitação, Socorro Gadelha.

O acordo 

De acordo com os ativistas, no encontro ficou acordado que, na próxima segunda-feira (30), a comissão será recebida pelo secretário de Desenvolvimento Social, Felipe Leitão, para discutir a reivindicação de 400 cestas básicas para as famílias mapeadas pelo MLB, em diversas comunidades de João Pessoa, e, no dia seguinte (31), para prosseguir o diálogo com a Secretaria de Habitação.

Ainda segundo os integrantes dos movimentos sociais, as famílias que participaram do ato saíram com a promessa de receberem cestas básicas já na próxima semana. A grande maioria das pessoas presentes era de mulheres, chefes de família, algumas delas com seus filhos pequenos.

Para João Batista, coordenador do MLB na Paraíba, “o ato de hoje mostrou que só com pressão popular seremos ouvidos. Já cansamos de esperar por promessas e viemos buscar nossa alimentação para passar o mês de setembro. Mas, pagando aluguel caro e sofrendo com o botijão de gás a 100 reais, com um aumento no preço do arroz, na carne, nós precisamos de moradia digna para não passar fome e ter um teto para dormir”.

A atividade de hoje faz parte de uma mobilização nacional, intitulada Jornada Nacional de Lutas contra a fome e a carestia. Entre as reivindicações da articulação pelo país estão a necessidade de acelerar o processo de vacinação e a garantia de que a crise econômica não siga afetando tanto os mais pobres. 

O Jornal da Paraíba entrou em contato com a Secretaria de Habitação de João Pessoa, que só confirmou a reunião marcada para próxima terça-feira (31).

Veja também  Morre aos 91 anos Elza Soares, um dos grandes nomes da música brasileira