UBS de João Pessoa sofre interdição ética do CRM por falta de médico e de equipamentos

Unidade apresentou problemas estruturais considerados graves, como a falta de equipamentos básicos e profissionais capacitados.

A Unidade Básica de Saúde (UBS) Integrada Rosa de Fátima, no bairro de Paratibe, em João Pessoa, sofreu uma interdição ética nesta quinta-feira (23). A suspensão dos serviços aconteceu após uma fiscalização do Conselho Regional de Medicina (CRM). Na unidade foram encontradas irregularidades estruturais e no atendimento.

De acordo com o CRM-PB, o local conta com quatro equipes de saúde da família, entretanto, uma delas está sem médico e outra com atendimento feito por profissional sem registro no Conselho. Além disso, faltam equipamentos básicos para consultas e a estrutura física apresenta problemas graves, com ambiente insalubre para profissionais e pacientes.

Entre os equipamentos em falta estão termômetro clínico, estetoscópio, oftalmoscópio, otoscópio, lanterna com pilhas e balança antropométrica. Também faltam itens para higiene, como sabonete líquido, toalhas de papel, lixeiras, além de lençóis para macas, algumas estão com colchões inadequados ou sem colchões.

Veja também  Campina Grande continua aplicando segunda dose da Astrazeneca nesta sexta-feira (15)

Há banheiros sem condições de uso, com pias e vaso sanitário sem funcionar e sem porta.Também foi encontrada uma estrutura predial precária nos consultórios, com infiltração e mofo.

https://g1.globo.com/pb/paraiba/

Também foi encontrada uma estrutura predial precária nos consultórios, com infiltração e mofo. Foto: Divulgação/CRM

A interdição ética da UBS impede que os médicos da unidade prestem seus serviços até que as inconformidades apontadas pelo CRM-PB sejam resolvidas. As quatro equipes de Saúde da Família que atuam na unidade são Mussumago I, Mussumago II, Sonho Meu e Paratibe. O relatório do CRM-PB já foi entregue à prefeitura de João Pessoa para conhecimento e resolução dos problemas.