Crise hídrica: ANA aponta ações e investimentos para garantir abastecimento de água na PB até 2035

Levantamento da Agência Nacional de Águas recomenda que a Paraíba invista R$ 2,39 bilhões até 2035 para a universalização do abastecimento.

Foto: Marconi Palmeira Filho/Empaer

A Agência Nacional de Águas (Ana) divulgou nesta segunda-feira (18) o “Atlas Águas – Segurança Hídrica do Abastecimento Urbano”. O levantamento apontou que, para prevenir crises hídricas no estado, são necessários R$ 2,39 bilhões em investimentos até 2035, universalizando o abastecimento de água.

O valor representa 5,3% de todo o investimento necessário para o Nordeste, sendo R$ 1,99 bilhão em produção de água (83,45%) e R$ 395,2 milhões em distribuição (16,55%).

A justificativa é a informação de que 73% das sedes municipais do estado apresentam média ou baixa segurança hídrica. O número representa o abastecimento de 79% da população. A classificação da Paraíba ocupa o segundo e terceiro nível mais crítico do Índice de Segurança Hídrica Urbano (ISH-U).

A Secretaria de de Infraestrutura, dos Recursos Hídricos e do Meio Ambiente da Paraíba informou que vai analisar o levantamento para as devidas providências.

Dentre as infraestruturas em produção de água recomendadas, pode-se destacar a implantação do Sistema Adutor Transparaíba (Ramal Cariri). O levantamento recomenda também nova captação e adutoras no Sistema Adutor Transparaíba (Ramal Curimataú), do Sistema Adutor Pajeú (2ª Fase da 2ª Etapa) e do Ramal do Piancó.

Veja também  ALPB aprova título de cidadão paraibano para o jornalista Danilo Alves

A maioria dos municípios paraibanos é operada pela Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (CAGEPA), a qual atende 199 sedes, abastecendo 89% do total das sedes urbanas do estado e a uma população de 3,1 milhões de habitantes. As demais sedes são operadas por serviços autônomos.

 

Crise hídrica no Brejo

Além das áreas abastecidas pelas infraestruturas recomendadas pela ANA, o Brejo paraibano também está em alerta com relação ao abastecimento de água. No dia 14 de outubro, a Assembleia Legislativa da Praíba (ALPB) decretou estado de calamidade no município de Areia, válido por 180 dias. Anteriormente, em setembro, foi decretado estado de calamidade para Solânea e Bananeiras, também localizadas na região.

No dia 6 de setembro, a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) emitiu um comunidade informando que a barragem de Canafístula, reservatório que abastece as duas cidades, secou e não há mais possibilidade de captar água para distribuição.