Obras de revitalização da Lagoa causam transtornos aos pedestres

Dividir o espaço com máquinas e desviar dos buracos tem sido missão diária para quem passa pelo Parque Solon de Lucena.

Esgoto a céu aberto próximo às paradas de ônibus, buracos, falta de sinalização para os pedestres e de vagas de estacionamento são algumas das constantes reclamações dos transeuntes do Parque Solon de Lucena, a Lagoa, em João Pessoa, desde que as obras de revitalização começaram. Para executar a obra, a Secretaria de Infraestrutura da capital (Seinfra) quebrou o piso do parque e fez uma escavação que circunda todo o anel.

A vendedora Geneciana Faustino, que trabalha no local, afirma que muita gente tem dificuldade para atravessar a obra, principalmente as pessoas com necessidades especiais. “Cansei de ver cadeirante saindo do ônibus e sem ter condições de atravessar para o comércio, tendo que pedir ajuda às outras pessoas. Eu mesmo já caí em um buraco enorme. Vinha falando ao telefone e quando vi já estava no chão”, conta Faustino.

A merendeira Lídia Costa vai todos os dias ao Parque Solón de Lucena para pegar o ônibus para o trabalho. Ela conta que os buracos feitos para a execução da obra causam transtornos à população, especialmente à noite. “Falta iluminação, fica tudo escuro, aí esses buracos não têm sinalização e ficam no meio da passagem”, relata a merendeira.

Além da falta de alternativas para deslocamento dos pedestres, a população também reclama de um esgoto que está aberto há dias perto de algumas paradas de ônibus. “ Esse cheiro insuportável é o dia todo. Se está assim no verão, não quero nem ver quando começar o inverno”, afirma a atendente Elisa Deodoro.

Já o taxista Valdemir Lucena reclama que após o estacionamento interno da Lagoa ser retirado, o espaço diminuiu para os motoristas e eles têm dificuldade em encontrar vaga. “Para o táxi é pior ainda, a gente é obrigado a ficar em fila dupla e levar multa por causa do espaço que não tem mais. É muito difícil também por causa dos pedestres que atravessam na frente o tempo todo porque não sabem mais onde passar”, explica.

SEINFRA E CAGEPA

A assessoria de comunicação da Seinfra informou que a obra de requalificação do Parque Solon de Lucena “ foi planejada para causar o menor transtorno possível às pessoas, como a adoção de tecnologia não destrutível na execução do túnel”. A assessoria lembrou ainda que a iluminação pública no local foi ampliada.

A reportagem procurou a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), para que pudesse se posicionar sobre os canos furados e esgotos que escorrem pelo parque, contudo, até o fechamento desta edição o órgão não respondeu à demanda.