Homem que matou e enterrou a sogra é condenado a 17 anos de prisão

Júri popular deveria ter ocorrido no dia 5 deste mês, mas não houve devido a falta de um jurado.

Foto: Walter Paparazzo/G1
Foto: Walter Paparazzo/G1

O homem que assumiu que ter matado e enterrado a sogra na despensa de casa, em 2016, foi condenado, nesta sexta-feira (23), a 17 anos de prisão, inicialmente em regime fechado. A defesa de Cassiano Gonçalo Patrício afirmou que vai recorrer da decisão do 1º Tribunal do Júri.

>>> Genro mata a sogra e enterra na despensa da própria casa

O autor do crime foi denunciado pelo Ministério Público pelos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver. A defesa pediu que ele fosse julgado pelo crime de homicídio privilegiado, argumentando que o réu sofreu ofensas que teriam motivado a morte da vítima. O júri de Cassiano Gonçalo deveria ter ocorrido no dia 5 deste mês, contudo o julgamento foi adiado pela ausência de um jurado.

Entenda o caso

Segundo a Polícia Civil, a vítima, Maria do Socorro Gomes Freitas, estava desaparecida desde o dia 17 de abril de 2016. A polícia foi acionada pelo ex-marido da mulher, que desconfiou ao ligar para ela e não ser atendido. “Quando foi na quarta-feira eu liguei para minha cunhada e pedi para ela ir na casa. Ela chegou lá e disse que achou estranho, pois não havia ninguém em casa e todas as luzes estavam acesas”, contou, acrescentando que chamou a polícia em seguida.

No dia 24 de abril de 2016, Cassiano Gonçalo foi preso e confessou o crime e disse que matou porque pretendia ficar com os bens dela. O crime aconteceu em João Pessoa, no bairro Jardim Cidade Universitária.