Prefeitura de CG vai fazer testes de Covid-19 em venezuelanos que vivem na cidade

A recomendação surge após 40 indígenas venezuelanos testarem positivo para Covid-19 na capital paraibana.

Foto: REUTERS/Lindsey Wasson

A prefeitura de Campina Grande determinou que a Secretaria Municipal de Saúde adote medidas para prevenir a disseminação do novo coronavírus em imigrantes venezuelanos que vivem na cidade. A recomendação surge após 40 indígenas venezuelanos testarem positivo para Covid-19 na capital paraibana João Pessoa. Até a quarta-feira (6), Campina Grande tinha 78 casos de Covid-19 confirmados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Segundo a prefeitura, ainda na tarde desta quinta-feira (7) pelo menos 60 testes rápidos serão aplicados em venezuelanos residentes em Campina Grande. Além dos testes, o grupo também receberá doses da vacina contra a gripe H1N1, numa ação realizada de maneira conjunta entre as secretarias de Saúde e de Assistência Social do município.

A Defensoria Pública do Estado da Paraíba (DPE-PB) já havia recomendado que a prefeitura de Campina Grande adotasse medidas para prevenir possíveis contágios pelo novo coronavírus em imigrantes venezuelanos. De acordo com o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD), a ação da prefeitura também tem viés técnico-científico, e visa ampliar as estratégias da prefeitura no controle e enfrentamento do avanço da Covid-19 na cidade.

A comunidade venezuelana que vive em Campina Grande está acolhida no Serviço de Convivência e Fortalecimento dos Vínculos (SCFV), localizado no bairro de Bodocongó. O Centro de Acolhimento específico para o público, instalado no prédio da Escola Municipal Sérgio de Almeida, no bairro do Jeremias, será inaugurado nos próximos dias.