Durante isolamento social, idosos do interior da PB recebem carinho do “Delivery de Amor”

Neste Dia dos Avós em meio à pandemia, toda demonstração de afeto é ainda mais válida.

Foto: Divulgação/Cras Boa Vista
Foto: Divulgação/CRAS Boa Vista

As demonstrações de carinho e afeto, próprias às relações entre avós e netos, tiveram que ser deixadas de lado em 2020, por conta da pandemia da Covid-19. Neste domingo (26), quando é comemorado o Dia dos Avós, os idosos passam pelo período de isolamento social, e lidam com as emoções de saber que a distância passou a ser sinônimo de cuidado.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), além das pessoas que possuem doenças crônicas e outras comorbidades, os idosos estão na lista de grupos de risco para a Covid-19. Na Paraíba, conforme os dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES), mais de 1,1 mil pessoas com idades acima de 60 anos faleceram em decorrência da doença, o que reforça ainda mais a necessidade do cumprimento do isolamento social para essa faixa etária.

Para tentar diminuir a saudade dos idosos neste período de pandemia, o Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) do município de Boa Vista, localizado no Cariri paraibano, criou o projeto “Delivery de Amor”, onde os participantes das atividades do órgão recebem serenatas regadas à música e a muito carinho.

Foto: Divulgação/CRAS Boa Vista

A assistente social Marcela Elaine Da Silva, que coordena o CRAS, explica que a ideia do ‘delivery’ surgiu a partir da necessidade de cultivar a relação com os cerca de 40 idosos, moradores das zonas urbana e rural de Boa Vista e participantes das ações do Município, que tiveram que se isolar neste período de pandemia.

“Quando precisamos aderir ao isolamento social, nos preocupamos com os idosos, porque foi uma coisa rápida, não estávamos preparados para ficar longe deles, nem eles longe da gente.”, comentou.

O contato com os idosos, ainda que mínimo, fez diferença na vida deles e dos profissionais envolvidos. Entre os meses e abril e junho, o CRAS realizou seis visitas, todas elas de surpresa, em residências de pessoas idosas.

“A ideia era que os idosos se sentissem lembrados, então não tem nenhum mensagem pronta, eu falo o que sinto no momento, de acordo com a particularidade de cada um. Pegamos a música favorita deles e chegamos ao som dela, entregamos um cartão personalizado, uma lembrança em artesanato e uma máscara de proteção individual.”, explicou.

Foto: Divulgação/CRAS Boa Vista

Após os encontros, os idosos ficaram numa alegria só e a iniciativa repercutiu. Segundo Marcela, representantes de órgãos de assistências sociais de quatro cidades localizadas no estado de Minas Gerais, e de uma localizada no estado de Alagoas, entraram em contato com o CRAS de Boa Vista para conhecer o projeto e colocá-lo em prática nos locais.

Mas aqui, na Paraíba, quem notou a diferença da iniciativa na vida dos idosos foram as pessoas que convivem com eles. Delane Virginio, neta de dona Franscisca, de 75 anos, uma das idosas que recebeu o Delivery de Amor, percebeu que a avó ficou mais tranquila e feliz após a visita das “meninas”, como carinhosamente chama as funcionárias do CRAS.

“Minha avó ficou muito feliz e surpresa, se emocionou muito com a música que tocou, e disse que deu pra matar um pouco da saudade. Rever elas a deixou mais feliz… Ela sentiu esse carinho.”, disse.

Delane também lembra que nesse período de isolamento, manter a distância dos avós não está sendo uma tarefa fácil. Após os primeiros quinze dias de quarentena, no início da pandemia, a jovem de 19 anos passou a ir mais a casa de dona Francisca para fazer companhia a idosa, adotando todos os cuidados necessário à prevenção da Covid-19. Para ela, o amor entre a avó e as três neta será ainda mais celebrado neste domingo (24) em que a saúde é o melhor presente.

Dona Francisca com seu marido e as três netas. Foto: Arquivo Pessoa/Delane Virginio

Sob supervisão de Jhonathan Oliveira*