Após vistoria, CRM-PB constata que hospital inaugurado em 2018 nunca funcionou

Prédio foi construído pelo Governo da Paraíba e entregue à prefeitura local. Investimento foi de R$ 8 milhões.

Foto: Divulgação/CRM-PB

Uma inspeção feita pelo Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) constatou que o Hospital Luiz Olegário da Silva, localizado em Cacimba de Dentro, no Curimataú paraibano, nunca foi utilizado pela população, mesmo inaugurado desde 2018. A visita foi feita nesta segunda-feira (27). A unidade hospitalar tem uma área de 1,7 mil metros quadrados e contém respiradores, bloco cirúrgico, além de equipamentos de radiografia.

A obra foi feita pelo Governo do Estado da Paraíba. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, o hospital foi construído e equipado pelo Governo, mas no momento da inauguração foi entregue à administração municipal de Cacimba de Dentro. A reportagem procurou contato com a Prefeitura de Cacimba de Dentro, mas as ligações não foram atendidas.

A população da cidade que fica a 170km de João Pessoa, é atendida exclusivamente pelo Hospital Municipal Isabel Moreira de Sousa, que tem apenas um médico de plantão 24h. O local não contém respiradores, não faz monitoramento dos pacientes vítimas da Covid-19, não tem laboratórios e nem realiza exames de imagens.

Na época da inauguração do Hospital Luiz Olegário da Silva, segundo o CRM-PB, o local recebeu um investimento de aproximadamente R$ 8 milhões, contendo dois respiradores na sala de estabilização, bloco cirúrgico completo, sala de radiografia com equipamentos e uma Central de Esterilização.

Além disso, o CRM-PB afirmou que a informação do Governo da Paraíba é que, na época da inauguração do hospital, em dezembro de 2018, a unidade deveria ter 28 leitos, sala de estabilização de pacientes graves, sala de procedimentos e pequenas cirurgias e enfermarias climatizadas.

“Encontramos um grande paradoxo na cidade. Enquanto há um atendimento precário no hospital municipal, há um amplo e importante equipamento de saúde sem estar em funcionamento, inaugurado há quase dois anos. Faltam alguns reparos e instalação de alguns equipamentos, mas o hospital tem uma estrutura excelente para atender a população da região”, disse o vice-presidente do CRM-PB, Antônio Henriques.

Foto: Divulgação/CRM-PB

Cacimba de Dentro tem uma população de 17,2 mil habitantes e, desde o início da pandemia do novo coronavírus já registrou 138 casos e uma morte na cidade, de acordo com os dados do boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde.

“O hospital municipal, que atende a população atualmente, não realiza o fluxo bidirecional dos pacientes com suspeita de Covid-19, ficando todos na mesma recepção. Se tiverem algum sintoma gripal ou suspeita de infecção pelo novo coronavírus são encaminhados para uma unidade básica, nos casos leves. Os casos moderados e graves ficam em isolamento para serem transferidos para a UPA de Guarabira, que é a única unidade de referência Covid para o Brejo paraibano”, falou o conselheiro do CRM-PB, Bruno Leandro de Souza.

Os membros que participaram da vistoria afirmaram que o CRM-PB vai elaborar um relatório, para logo depois ser encaminhado ao Governo da Paraíba e a Prefeitura de Cacimba de Dentro, além do Ministério Público da Paraíba.