Paraíba já registra mais de 6 mil notificações de dengue em 2020, aponta SES

Sertão do estado é a região com maior incidência de arboviroses, segundo o boletim.

Foto: Divulgação/NIAID
Mosquito Dengue Zika
Foto: Divulgação/NIAID

Mais de 6 mil casos de dengue já foram registrados na Paraíba em 2020, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES). Os dados foram divulgados na terça-feira (10), no Boletim Epidemiológico da SES, e também apontam para um aumento de casos de zika e chikungunya.

Além dos casos de dengue, 1.673  casos de chikungunya e 313 de zika foram notificados à SES. O documento também mostra que o Sertão do estado é a região com maior incidência de arboviroses.

A responsável pelas arboviroses, Carla Jaciara, explicou que não houve mudanças significativas entre o relatório atual e o divulgado anteriormente. Ela também afirmou que subnotificação continua persistindo nas regiões do Sertão, Borborema e Agreste, respectivamente.

“Não temos muita diferença entre esse e o boletim anterior. Se pegarmos até o percentual de variação e dos casos prováveis e trouxermos para a porcentagem, ficou praticamente a mesma coisa. Tivemos mais aumento para a chikungunya, se compararmos com o mesmo período de 2019. Dengue ainda continua com redução e zika também”, pontua.

O boletim também apresentou 22 mortes suspeitas por arboviroses, uma a mais que o boletim anterior. A confirmação de três mortes para dengue (Sapé, Santa Rita e Aroeiras); cinco para chikungunya (dois em João Pessoa. um em Riachão do Bacamarte, um em Areial e um em Malta); dois para zika (um em Aroeiras e um em Riachão do Bacamarte). Outros treze casos foram descartados e um segue em investigação.

Ainda segundo o documento, nove gestantes contraíram zika, sendo sete por critério laboratorial e dois por clínico-epidemiológico, em Araruna, Campina Grande, Água Branca, Picuí, Pocinhos, Vista Serrana e Boa Vista. Mesmo com as medidas de prevenção à Covid-19, os cuidados com infecção por zika devem continuar.

“Essa é a fase de formação fetal. Porém os cuidados de prevenção se estendem durante toda gestação”, observa Carla Jaciara.

O boletim também traz orientações para as Secretarias Municipais de Saúde, para sensibilizar a população para eliminação de criadouros do mosquito aedes aegypti, e reforçar o combate às arboviroses.