Mesmo com clima nublado, malotes do Gaeco 'rondam' região de Campina Grande

Foto: divulgação

A região de Campina Grande tem registrado dias frios e nublados nas últimas semanas. Mas, mesmo assim, malotes usados pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (GAECO), do Ministério Público, parecem aproveitar as poucas horas de sol dos últimos dias. Com investigações a todo vapor, mesmo com a pandemia, não é difícil que eles, com chuva ou em dias claros, ‘rondem’ a região em breve.
Há quem aposte, inclusive, que a Operação Calvário tenha próximos capítulos na região. Ou, talvez, uma outra frente investigativa em parceria com a Polícia Federal ocorra.
O fato é que desde as últimas fases da Calvário, por exemplo, foram reveladas ‘brechas’ que ainda não foram totalmente esclarecidas.
Uma delas, por exemplo, é o caso de uma cozinheira que aparece como sócia de uma empresa investigada no suposto esquema. Outro, é de um motorista… que, segundo o Gaeco, teria relação com empresas investigadas e contratos com o Estado e municípios – numa espécie de “fábrica de laranjas”.
Por aqui a última investida do Gaeco foi em Aroeiras, na Operação Alquimia, que apura contratos para a compra de livros firmados pela prefeitura do município. O fato é que, ao que parece, os investigadores se adaptam bem ao clima. Faça frio, como na região de Campina, ou calor, do litoral pessoense.

Veja também  Após três adiamentos, contas de Ricardo Coutinho serão julgadas segunda-feira no TCE