Progressistas criticam transição por mais espaço, mas querem 'abarcar o mundo' de Brasília à Câmara de Campina

Aguinaldo e Daniella tentam viabilizar nomes para comando da Câmara e do Senado. Em Campina partido tenta emplacar composição para biênio na Câmara Municipal

Foto: Ascom

Desde a semana passada lideranças do partido Progressistas têm criticado, ainda que de forma sutil, o processo de transição entre a gestão do prefeito Romero Rodrigues (PSD) e a futura gestão do prefeito eleito Bruno Cunha Lima (PSD). A reclamação, de forma resumida, é de que a legenda não tem participado, de forma ativa, dos passos dados pela equipe e não teria membros indicados no grupo.
Sem entrar na discussão sobre a conveniência das reclamações feitas – até porque o vice-prefeito eleito, Lucas Ribeiro, tem participado dos encontros – a postura parece apenas evidenciar o ‘apetite’ do partido na ‘briga’ por cada vez mais espaços.
Estejam eles em Brasília, onde o deputado Aguinaldo Ribeiro e a senadora Daniella Ribeiro tentam se apresentar como alternativas para o comando da Câmara Federal e do Senado, ou até na sucessão da Mesa Diretora da Câmara, aqui em Campina.
Por aqui a legenda tenta viabilizar um de seus vereadores para a presidência num eventual segundo biênio, o que, na visão de aliados do prefeito eleito Bruno Cunha Lima, não seria um dos melhores cenários.
A máxima de que não há espaços vazios na política é, para o Progressistas, um mantra nos dias atuais. Mesmo que, em alguns momentos, a busca por mais espaços sirva como pano de fundo e justificativa para reclamações públicas.
É uma postura que, visivelmente, tem incomodado aliados em Campina. E não é para menos…

Veja também  Educação vai aumentar em 40% salários e entregar notebooks para professores em Campina Grande