Rejeição de Bolsonaro no Nordeste é "aviso" para candidatos ao Governo e ao Senado na Paraíba em 2022

Rejeição do presidente chega a 62% na região Nordeste, conforme pesquisa

Romero e bolsonaro

Os números da pesquisa Data Folha, divulgados ontem, mostram que o presidente Jair Bolsonaro tem uma rejeição que chega a 62% na região Nordeste. Muito mais do que um dado matemático, o número é um “aviso” para aqueles que disputarão cargos majoritários (Governo e Senado) em 2022 na Paraíba.

Não será uma boa estratégia “colar na imagem” do presidente.

Isso, claro, se o cenário político nacional se mantiver até outubro de 2022 com uma candidatura do ex-presidente Lula ao Planalto. Apesar de desgastado nos últimos anos, o petista mantém a sua maior densidade eleitoral entre os nordestinos.
Aqui na Paraíba, pelo menos por enquanto, há nomes aliados do presidente que tentam conquistar viabilidade com candidaturas ao Senado e ao Governo do Estado. São exemplos o ex-prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD), pré-candidato a governador; e o deputado Efraim Filho (DEM), que quer disputar o Senado.
Os dois, além de outros que possam surgir, terão que desenhar um discurso próprio – longe de extremismos. O ‘bolsonarismo’, por enquanto, não está na moda. Não no Nordeste.
Os aliados do presidente, por aqui, terão que atentar para isso.

Veja também  O prefeito e o ex-prefeito de Campina Grande nas ‘Curvas da estrada de Santos’