Movimento consolida Efraim e obriga Aguinaldo a criar 'fato novo' na disputa por vaga para Senado

Foto: Ascom

O anúncio de apoio do presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino (PSB), à pré-candidatura do deputado Efraim Morais (DEM) ao Senado – hoje pela manhã em João Pessoa – movimentou as peças do tabuleiro político paraibano para 2022.
E não é para menos. O demista colocou na mesma mesa o presidente do Legislativo estadual e um senador da República (Veneziano Vital), além de prefeitos e deputados estaduais do Estado.
Foi uma demonstração de força e de que a decisão dele, de disputar uma vaga no Senado, não tem mais volta.

O movimento, ao mesmo tempo que consolida o nome de Morais, provoca outros desdobramentos.

Ele obriga, por exemplo, o deputado Aguinaldo Ribeiro (Progressistas) a criar um ‘fato novo’ para se manter na disputa.
Aguinaldo vem há meses costurando uma aproximação com João Azevêdo (Cidadania). Na última sexta andou pelas ruas de Princesa Isabel, ao lado do governador.
Dias depois foi obrigado a assistir o anúncio feito por seu principal concorrente.
Habilidoso e pragmático, Aguinaldo sabe que possui ainda ‘armas’ importantes para a batalha pela vaga. Uma delas é o apoio do prefeito Cícero Lucena (Progressista) e de lideranças da região metropolitana, que poderá ser decisivo.
Mas embora ainda estejamos longe das eleições de 2022, é preciso construir um ‘contra-ataque’; antes que a ofensiva de Morais resulte no isolamento de seu nome na base do Governo.

Veja também  Líder no Centrão, Wellington Roberto faz papel de marqueteiro de Queiroga