Rômulo Gouveia nega que governo desrespeite autonomia da UEPB

Segundo vice-governador, estado tem compromisso com a autonomia financeira da instituição.

O vice-governador Rômulo Gouveia (PSD) negou nesta terça-feira (20) que o governo do estado venha desrespeitando a autonomia financeira da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Em entrevista ao programa Polêmica Paraíba, da Paraíba FM, ele disse que o governador Ricardo Coutinho (PSB) tem dialogado com setores da universidade e o repasse financeiro para a instituição tem ocorrido dentro do que a lei determina.

“A autonomia está preservada o governo tem compromisso com a UEPB e tem compromisso com sua autonomia”, disse o vice-governador durante a entrevista.

A polêmica do repasse de verbas para a Universidade Estadual da Paraíba teve início no mês de fevereiro, quando a administração fixou um repasse para a universidade em R$ 18,7 milhões por mês. De acordo com a universidade, isso fere o que estabelece a lei de autonomia financeira da instituição que determina um repasse equivalente a 5,77% da receita ordinária.

Na última sexta-feira (16) professores e estudantes da instituição fizeram um protesto em uma solenidade onde o governador empossava professores. Na ocasião Ricardo Coutinho chegou a ser vaiado.

Segundo Rômulo, a administração estadual não está descumprindo nenhuma lei e vem dialogando com várias categorias, além de setores da UEPB. “O governo não tem se negado a dialogar. Tem sentado com categorias, tem conversado e vem cumprindo a sua parte”, acrescentou.

Veja também  Politizades: Você sabe o que são os três poderes e as razões da separação? 


Participação de Ricardo na campanha eleitoral

Na entrevista o vice-governador também foi questionado sobre críticas de adversários que teriam dito que aliados de Ricardo Coutinho não queriam sua participação na campanha eleitoral de outubro, por uma suposta baixa popularidade do governador. Rômulo Gouveia disse que isso não existe e garantiu que Ricardo terá papel fundamental no pleito.

“Em cada município Ricardo Coutinho terá seu posicionamento. E sera extramente importante a presença de Ricardo no processo político em todo o estado”, disse Rômulo.Ele afirmou também que as eleições de outubro tem que ser disputadas dentro das cidades e não devem ser estadualizadas.

PSD não será coadjuvante

Rômulo Gouveia também falou sobre a participação do PSD, partido que ele preside na Paraíba, nas eleições de outubro. Segundo ele, a sigla criada em 2011 não será coadjuvante e deve lançar candidatura própria nas maioria das cidades da região da Grande João Pessoa.

“ Nosso objetivo é ter candidatura na maioria das cidades da Grande João Pessoa, como já temos em Cabedelo, Lucena, Conde, Bayeux e em Santa Rita também vamos ter candidatura. O partido não veio para ficar como coadjuvante”, afirmou Gouveia.