Prefeitos paraibanos começam o ano com pé no freio por causa da crise

Gestores não pretendem ‘esticar a corda’ em relação aos gastos públicos, mesmo com 2016 sendo um ano eleitoral.

Apesar de 2016 ser um ano eleitoral, vários prefeitos da Paraíba não vão “esticar a corda” em relação aos gastos públicos, pelo contrário, promovem ajustes fiscais com a redução de despesas com eventos, custeio e pessoal, bem como de expediente. Em Soledade, no Agreste, o prefeito José Bento (PT) demitiu mais de 40 detentores de cargos comissionados, além de suspender diárias, cortar gratificações e até paralisar veículos e máquinas para economizar combustível. O objetivo é diminuir em cerca de R$ 60 mil por mês. “Neste período de crise econômica, qualquer economia de gastos é importante”, disse.

Em Jericó, no Sertão, o prefeito Cláudio Oliveira (DEM) iniciou o ajuste no final do ano passado, com a demissão de 64 servidores, entre comissionados e prestadores de serviços. Com a medida, a folha de pessoal teve uma redução de R$ 50 mil por mês. O gestor também reduziu o horário de expediente de 7h às 13h30. Ainda no Sertão, a prefeita de Cajazeiras, Denise Araújo (PSB), já anunciou que o Poder público local não vai promover o tradicional Carnaval.  
 
Em João Pessoa, depois de cancelar o projeto Extremo Cultural, uma das grandes opções populares que reunia shows de artistas da terra e de renome nacional em janeiro, o prefeito Luciano Cartaxo (PSD) determinou a redução de 50% dos recursos para as prévias carnavalescas do Folia de Rua.  Em 2015 foi investido R$ 800 mil para os 30 blocos, este ano houve uma redução de 50%, com a diminuição do Carnaval Tradição, o investimento fica em torno de R$ 300 mil este ano.
 
Em Campina Grande, o prefeito Romero Rodrigues (PSDB) baixou um decreto, reduzindo o expediente nas repartições públicas municipais. O atendimento nos setores da administração direta e indireta será mantido, da segunda à sexta-feira, no horário das 7h às 13h. A exceção ficará por conta do atendimento nos serviços essenciais à população, a exemplo dos hospitais, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), e de limpeza urbana.
 
O prefeito municipal de Nova Palmeira, no Curimataú, José Félix de Lima Filho, enviou correspondência ontem à redação do Jornal da Paraíba para informar que efetuou o pagamento dos servidores públicos na segunda-feira (4), referente ao mês de dezembro, enquanto o 13º salário foi quitado em 30 de dezembro. Na edição de ontem do JP, a cidade foi incluída na lista das que tinham atrasado o pagamento da folha de pessoal. “Os salários do mês de dezembro de 2015 podem ser pagos até o quinto dia útil deste mês, dia 8 de dezembro próximo, tendo o município quitado os salários no primeiro dia útil do mês”, afirmou José Félix.