João Paulo Medeiros

No embalo do São João, Campina poderá ter 120 horas de 'feriadão'

Comércio abrirá normalmente no dia 20. No dia de São João, 24, lojas do Centro da cidade deverão ficar fechadas

Foto: Artur Lira

No embalo do Maior São João do Mundo, quem mora em Campina Grande poderá ter, nos próximos dias, 120 horas ininterruptas para arrastar o pé no forró. A cidade terá dois feriados municipais, dias 20 e 24, aprovados recentemente pela Câmara de Vereadores e sancionados pelo prefeito Romero Rodrigues. Na sexta-feira (21), há a possibilidade (ainda não confirmada) de ser decretado ponto facultativo nas repartições municipais.
O ‘feriadão’ campinense coincide com o ápice do Maior São João do Mundo, que este ano terá como principal atrativo a gravação do DVD da cantora Elba Ramalho, no domingo dia 23, véspera de São João. Os feriados de Corpus Christi e do Dia de São João foram aprovados no fim do mês de maio.
Nos restaurantes e hotéis, o ‘feriadão’ é sinônimo de ‘casa cheia’ e lucratividade, já que cidade é rota certa para turistas nesse período do ano. Mas para o comércio o ‘feriadão’ pode não ser tão interessante. É que o São João é o segundo período mais importante do ano para os lojistas e, claro, eles precisam aproveitar a euforia dos consumidores com a festa.
A Associação Comercial e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade dizem que o comércio abrirá normalmente na próxima quinta-feira (20), mesmo sendo feriado municipal. Na sexta (21) e no sábado (22) as lojas também estarão abertas, independente da sexta ser considerada ponto facultativo ou não.
“É importante esclarecer que a abertura das lojas é facultativa aos comerciantes. Portanto, aqueles que optarem em atender os consumidores terão que pagar o abono, a cada trabalhador escalado para o trabalho, e oferecer uma folga de acordo com os direitos previstos na convenção coletiva dos empregados do comércio”, explicaram em nota as entidades.
O que os empresários esperam é que o embalo dos festejos juninos deixe, também, em ritmo acelerado a economia local. É, aliás, o que todos nós, indistintamente, esperamos.

Veja também  Ministra vota pela suspensão de pensões a viúvas de ex-governadores, ex-deputados e ex-juízes da PB