Quando o tema é aborto, igreja católica permanece no atraso

Uma menina de 10 anos grávida, estuprada por um parente próximo.

Um aborto legal feito num hospital do Recife sob protestos de fundamentalistas religiosos.

Uma militante de ultradireita a divulgar dados da menina.

O aborto como tema principal, sobrepondo-se ao estupro. O primeiro a apagar o segundo.

Gente hipócrita!

No meio desse cenário, há uma nota divulgada por Dom Walmor Oliveira de Azevedo, o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

Veja também  Flávio Tavares diz que o presidente Bolsonaro não é fascista e, sim, um psicopata perigoso

“A violência sexual é terrível, mas a violência do aborto não se explica, diante de todos os recursos existentes e colocados à disposição para garantir a vida das duas crianças”, disse o presidente da CNBB.

Sabemos da complexidade do tema, mas a igreja católica não cede, não se atualiza.

Quando a questão é o aborto, a igreja católica segue na escuridão.