Depois do debate, a gente agora pergunta: quem será o futuro prefeito de João Pessoa?

O debate (foto: Marcelo Gama) que a TV Cabo Branco realizou, na noite desta sexta-feira (27), com os candidatos que disputam a prefeitura de João Pessoa foi impecável como programa de televisão.

Tudo – o formato, o cenário, os aspectos técnicos e operacionais – dentro do padrão de qualidade que a emissora ostenta e que a põe sempre à frente das demais emissoras locais.

A destacar, o desempenho da jornalista Larissa Pereira como mediadora. Séria, segura, firme, com domínio total do que estava fazendo. Apresentadora titular do JPB2, Larissa já havia passado, em 2019, por um grande teste: apresentar o Jornal Nacional. Ocupou a bancada do JN e foi aprovada com louvor.

Quando a Globo retirou das afiliadas a prerrogativa de usar seus profissionais como mediadores de debates políticos, certamente quis se preservar e preservar as próprias emissoras de uma possível falta de isenção provocada pela intimidade entre os jornalistas e os políticos.

A escalação de jornalistas que vinham de fora brindava o telespectador com a presença de grandes nomes nacionais, mas nem sempre dava certo, posto que a estes faltava a intimidade com a realidade do lugar.

Veja também  Canal Disney + vai exibir Get Back, documentário dos Beatles, em novembro. Veja trailer legendado

A volta das estrelas locais à mediação dos debates é uma vitória. No caso de João Pessoa, a performance de Larissa Pereira confirmou o acerto da decisão.

*****

No debate, Cícero Lucena (PP) e Nilvan Ferreira (MDB) não surpreenderam.

Como nas entrevistas que deram ao JPB no início da semana, os candidatos se mostraram assim:

Cícero: o conteúdo a destoar da fala. A experiência acumulada por quem já foi governador, ministro, prefeito e senador traduzida em precária oratória.

Nilvan: a desenvoltura de quem, como profissional tarimbado de rádio e televisão, constrói um discurso mais articulado do que o do adversário, mas de conteúdo sempre muito duvidoso.

No quesito “baixaria”, os candidatos não deram contribuição alguma ao debate democrático.

Somente reafirmaram que nossos políticos não perdem a abominável mania de desqualificar o adversário.

O debate da TV Cabo Branco, a dois dias da eleição, mostrou ao telespectador os candidatos a prefeito de João Pessoa do jeito que eles são. E também disse algo do que – nós, os eleitores – somos quando os escolhemos através do voto.

É a democracia que temos, tão carente ainda de aperfeiçoamento.