Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Nilda Gondim assume como titular e Paraíba passa a ter mãe e filho no Senado

Com a morte do senador José Maranhão (MDB), a suplente Nilda Gondim (MDB) vai assumir em definitivo a cadeira no Senado Federal.

Por ANGÉLICA NUNES

Foto: divulgação

Com a morte do senador José Maranhão (MDB), a suplente Nilda Gondim (MDB) vai assumir em definitivo a cadeira no Senado Federal. Ela já vinha substituindo o emedebista desde 12 de janeiro deste ano, devido à falta de previsão de alta hospitalar do titular da vaga. Ele estava internado desde o dia 29 de novembro e morreu nesta segunda-feira (8), em um hospital particular em São Paulo, por complicações pela covid-19.

Nilda deve assumir como titular da vaga em um ato sem solenidades. De acordo com a assessoria da senadora, a Mesa Diretora do Senado deverá declarar o cargo vago, o presidente convocará a suplente e daí ela toma posse como titular, mas em ato restrito, no gabinete. Com este passo, ela fica no exercício do mandato até dezembro de 2023.

Fato curioso com a posse de Nilda é que a Paraíba será o segundo com mãe e filho representando o seu estado no Senado. Nilda vai atuar ao lado do senador Veneziano (MDB), inclusive numa cadeira anteriormente ocupada por outro filho, Vital do Rêgo Filho, atualmente ministro do Tribunal de Contas da União (TCU). Além deles, o estado do Tocantins também tem mãe e filho no Senado: Kátia (PP) e Irajá Abreu (PSD).

Veja também  João Azevêdo abre a sabatina da CBN com pré-candidatos ao governo da Paraíba, nesta terça

Campinenses dominam

A oficialização de Nilda Gondim na vaga também vai provocar outro fato curioso, que é a dominação de Campina Grande, segundo maior colégio eleitoral da Paraíba, na Casa. Mãe e filho se somam à campinense Daniella Ribeiro (PP), que compartilha da mesma terra natal, mas atua em campo político oposto aos Vital.

Nas eleições deste ano, o filho de Daniella, Lucas Ribeiro, venceu a eleições como vice-prefeito de Campina Grande. Uma das concorrentes derrotadas foi Ana Cláudia Vital, respectivamente, nora e esposa de Nilda e Veneziano.