Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Nilvan continua sendo preferência para comandar PTB na Paraíba, mas direção quer ouvir Bruno Cunha Lima

Por LAERTE CERQUEIRA e ANGÉLICA NUNES 

Foto: Assessoria

O radialista e ex-candidato a prefeito de João Pessoa, Nilvan Ferreira, não saiu da reunião de hoje (27), com o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, com o aval para comandar a legenda na Paraíba, mas continua na lista de preferências.

O PTB, sob tutela de Jefferson, está bem próximo do presidente Jair Bolsonaro, e Nilvan temido bem cotado por ter assumido o discurso da direita no estado. Por enquanto está no MDB, mas apenas aguardando definir uma outra “casa partidária”.

Ao Conversa Política, o Coronel Meira, presidente do PTB em PE e coordenador do partido no Nordeste, afirmou que um nome de Nilvan é excelente, mas ainda não foi fechado porque três pastores ligaram para Roberto Jefferson pedindo que ele conversasse com o prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD).

De um encontro com o gestor, uma nova rodada de conversas será feita antes da definição.

“Vamos fazer um conversa com Nilvan, vereador Pimentel e Bruno, em Campina, para ouvir e ver se há um alinhamento, uma união”, afirmou.

Veja também  No PSD, Pacheco será anunciado com o pré-candidato à presidência contra os “extremos”

A possibilidade de Bruno ir para o PTB surgiu após aproximação do PSD com o ex-presidente Lula. Bruno já anunciou que estará com Bolsonaro em 2022.

O novo presidente do PTB paraibano vai ocupar o espaço que foi deixado pelo deputado federal Wilson Santiago, que foi destituído do comando, por divergências de posicionamento com a direção nacional. Por outro lado, Santiago afirma que estava esperando um bom motivo para deixar a legenda. Já não havia “convergência” ideológica.

Segundo Coronel Meira, outro nome que pode ficar na liderança do partido é o do Eudócio Dantas, que tem relação próxima e afinidade ideológica com o grupo. “Somos 100% Bolsonaro em 2022”, cravou.

O Coronel afirmou ainda que um dos objetivos principais do partido é eleger um deputado federal e derrotar o Julian Lemos, deputado federal do PSL que, segundo ele, é um “traidor” de Bolsonaro na Paraíba.