Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Ricardo Coutinho, Cida Ramos, Estela Bezerra e Márcia Lucena estão a caminho do PT

Por ANGÉLICA NUNES e LAERTE CERQUEIRA 

Foto: montagem/Jornal da Paraíba

 

Sem liderança, aos poucos sendo escanteado no PSB, pela direção estadual e nacional, o ex-governador Ricardo Coutinho já está “fazendo as malas” para voltar para uma antiga casa, o PT.

O Conversa Política apurou que ele não vai sozinho. Com ele, assinam as fichas de filiação as deputadas Cida Ramos e Estela Bezerra, que são socialistas da ala de oposição ao governador João Azevêdo (ex-PSB e hoje Cidadania), na Assembleia Legislativa. Também vai com o grupo a ex-prefeita Márcia Lucena.

A expectativa é que ainda entre no “pacote”, o deputado Jeová Campos. Jeová está “conversando” sobre o retorno. Sobre o deputado sertanejo, uma fonte afirmou: “Ele saiu do PT, mas o PT nunca saiu dele”.

O aceno foi compartilhado, inicialmente, por Ricardo Coutinho ao postar em suas redes sociais uma foto ao lado do ex-presidente Lula, virtual candidato à presidência em 2022, e da presidente do PT, Gleise Hoffman. A mudança oficial deve acontecer em agosto, justamente quando o ex-presidente Lula deve visitar à Paraíba.

Veja também  Deputada quer audiência com reitor para discutir cobranças de alugueis na UFPB

https://www.instagram.com/p/CR1SsjVgrab/?utm_medium=copy_link

PT dividido

O grupo se manteve ao lado de Coutinho no processo de fratura do PSB, após o rompimento com o governador João Azevêdo.

A questão agora é saber: como eles serão recebidos pelos petistas que ficaram na base aliada de João Azevêdo? O deputado federal Frei Anastácio (PT) e o estadual Anísio Maia (PT) são governistas e terão trabalho com a chegada de Ricardo Coutinho. Anísio, inclusive, já vem sofrendo com a interferência de Ricardo no PT desde a eleição passada, quando ambos disputaram à prefeitura de João Pessoa sob guerra jurídica para tentar derrubá-lo.

O vereador Marcos Henriques admite que há um PT dividido, entre os que desejam o retorno de Ricardo Coutinho aos quadros do partido e os que não o querem de volta. Segundo o petista, essa possível filiação é uma ‘costura’ da nacional, sem a participação das instâncias locais.