Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Conselho de Secretarias Municipais de Saúde da Paraíba recomenda vacinação de adolescentes

O Cosems-PB, na prática, segue recomendação do MPF, que pede o respeito à ordem de prioridade, mas abre espaço para que os municípios descumpram a última orientação do Ministério da Saúde.

Divulgação: Codecom
Divulgação: Codecom

O Conselho de Secretarias Municipais de Saúde da Paraíba – COSEMS-PB, emitiu nota orientativa, na tarde desta sexta-feira (17), na qual recomenda que gestores municipais de saúde mantenham a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos, sem comorbidade, caso esteja seguindo a ordem determinada no Plano Nacional de Imunização.

Ou seja, se o município já vacinou as adolescentes gestantes, as puérperas e as lactantes, os adolescentes de 12 a 17 anos com deficiências permanentes, comorbidades e os privados de liberdade, deve seguir, conforme disponibilidade de doses, a imunização dos que não têm comorbidades, por ordem decrescente de idade.

O Cosems-PB, na prática, segue recomendação do Ministério Público Federal, que pede o respeito à ordem de prioridade, mas abre espaço para que os municípios a descumpram a orientação do Ministério da Saúde. O MS, na última quarta à noite (15), decidiu suspender a vacinação dos adolescentes sem comorbidades, com alegação de que era preciso aguardar um tempo para análise de intercorrências registradas em jovens que foram vacinados.

Veja também  Em busca de “salvar” votos, Bolsonaro peregrina pelo Nordeste

Autonomia dos municípios 

O Conselho, na nota, assinada pela presidente Soraya Galdino, destaca que, conforme autorização da ANVISA, deve-se avançar na antecipação:

  • da D2 para 8 semanas (Pfizer e AstraZeneca), caso haja doses;
  • concluir a vacinação da população adulta
  • aplicar dose de reforço nas pessoas que já fecharam seus esquemas vacinais há 6 meses, bem como nos imunossuprimidos com esquemas fechados há 28 dias;
  • e avançar na vacinação de adolescentes com e sem comorbidades. 

A direção destacou a autonomia dos municípios para seguir a vacinação como planejada pelo PNI, se tiver vacina para aplicar.  “Diretoria do COSEMS-PB entende que tem competência na área da saúde pública para realizar ações de mitigação dos impactos do novo coronavírus, e reconhece os conhecimentos científicos já realizados. Neste sentido, através da sua Diretoria, aprova tal recomendação, como representante dos 223 Secretarias Municipais de Saúde da Paraíba, a fim de atender as necessidades municipais de saúde pública”, concluiu.