Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Juiz do TRE-PB suspende decisão que cassou mandato de Karla Pimentel no Conde

Com a decisão, a prefeita segue no cargo até a análise do recurso pelo TRE-PB.

Foto: reprodução/TRE-PB
Foto: reprodução/TRE-PB

O juiz do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), Márcio Maranhão, suspendeu os efeitos da decisão da juíza da 3ª Zona Eleitoral de Santa Rita, Lília Cananea, até o julgamento do recurso. A magistrada cassou ontem (21) o mandato da prefeita do Conde, Karla Pimentel (Pros), por abuso de poder econômico, e determinou a posse imediata da segunda colocada no pleito, a ex-prefeita Márcia Lucena (PT).

A decisão foi tomada na manhã desta sexta-feira (22), atendendo pedido de liminar apresentar pela defesa de Karla Pimentel. Eles recorreram da decisão de 1º grau, solicitando efeito suspensivo da determinação de mudança no comando da cidade. A alegação é de que, a troca antes de analisado o recurso pelo TRE-PB poderia colocar em risco a administração municipal.

Este também foi o entendimento do juiz Márcio Maranhão ao deferir o pedido. “Imperioso enfatizar que tanto este Tribunal, como a Corte Superior Eleitoral têm caminhado em sintonia, entendendo que a alternância de poder, logo no julgamento de 1º Grau, não é medida salutar”, destaca o juiz.

Na decisão, o magistrado também determinou à parte autora a emenda da petição inicial, no caso Karla Pimentel, a fim de que proceda ao pedido de citação da parte adversa, no prazo de quinze dias, sob pena de extinção do processo sem resolução do mérito.

Veja também  Governo federal reconhece situação de estiagem em 150 municípios da Paraíba

Recurso

A defesa de Karla Pimentel apresentou recurso para revisão em definitivo da decisão de primeiro. O recurso ainda será analisado pelo relator, Márcio Maranhão. Caso ele seja negado, a tendência é que sejam realizadas novas eleições no município. Isto é o que disciplina o §3º do art. 224, do Código Eleitoral, inserido através da Lei n. 13.165/2015, segundo especialistas consultados pelo Conversa Política.

A norma estabelece que, em caso de indeferimento do registro, a cassação do diploma ou a perda do mandato de candidato eleito em pleito majoritário, deverá ser realizada novas eleições, independentemente do número de votos anulados, após transitado em julgado.

Ou seja, ainda que o TRE-PB mantenha, no mérito, a cassação, seriam realizadas novas eleições no Conde e não a posse de Márcia Lucena no cargo. Até o encerramento do pleito, a cidade ficaria sob o comando da presidente da Câmara Municipal, Luzimar Nunes.

A defesa de Márcia Lucena afirmou ao Conversa Política que a liminar suspende apenas provisoriamente os efeitos da sentença até o julgamento do recurso interposto pela Karla Pimentel. “No entanto, a defesa da Professora Márcia confia no desprovimento de tal manejo recursal e na manutenção da sentença, diante das provas incontestes constantes dos autos”, pontua Rafael Sedrim.