Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Enfim, histórias de João Pessoa estarão reunidas em um museu

Nesta quinta-feira (4), será entregue o Museu da Cidade de João Pessoa (MCJP). Foram investidos R$ 1,3 milhão em obras de restauração e com ambientes interativos.

Museu da Cidade de João Pessoa. Foto: José Marques/ Secom/PB

Enfim, as histórias da capital paraibana, da evolução, mudanças, dos seus personagens e da população, vão parar em um museu. Um espaço simbólico, na Praça da Independência, em um casarão histórico, onde morou o então presidente da Paraíba, João Pessoa.

Nesta quinta-feira (4), às 10h, o governador João Azevêdo entrega o Museu da Cidade de João Pessoa (MCJP). Foram investidos R$ 1,3 milhão em obras de restauração.

De acordo com Diógenes Chaves, coordenador da casa e artista plástico, o espaço terá acervos temporários e temporários de longa duração.

Nele estará a história da cidade, através de exposições fotográficas, livros, vídeos, dos seus personagens públicos e anônimos, figuras pitorescas, seus artistas, experiências sensoriais.

“Além disso, realizaremos ações extra museu, de maneira a atrair o público, sobretudo das escolas e universidades. Vamos implantar um museu atrativo para o cidadão porque contará a história e o seu cotidiano”, afirmou.

“O objetivo é juntar num mesmo espaço, no Museu da Cidade João Pessoa, o resumo dos grandes fatos históricos da cidade e as riquezas culturais desse povo”, explicou Azevêdo.

Primeira exposição

Na inauguração, o museu já oferecerá a exposição de longa duração com a história do então presidente paraibano João Pessoa, a exposição de pinturas com obras de Amelinha Theorga e Emílio Pinto, exposição de 100 imagens do fotógrafo Antonio David, a rádio web Jardim das Acácias, que também tocará listas musicais propostas pelo público.

A primeira exposição classificada como ‘acervo de longa duração’ será na sala, onde ficarão móveis pertencentes à família do então presidente João Pessoa, incluindo aí o bureau de trabalho dele e a mesa onde foi morto no Café Glória, em Recife.

Veja também  Governo amplia margem para parcelar crédito consignado dos servidores públicos da Paraíba

Os guias

Os guias do espaço serão jovens do Projeto Primeira Chance, do Governo do Estado. “Embora seja boa parte interativo, dividimos o espaço em salas que comportarão equipamentos e exposições temáticas, e sempre haverá aquela primeira visita que requer uma orientação rápida. A partir daí o visitante estará à vontade para percorrer e interagir”, explica Diógenes.

Dentro

A tecnologia vai ajudar o visitante ver João Pessoa projetada em mapas antigos, mostrando a evolução ao longo do tempo. Também haverá projeção de filmes históricos.

“Vamos utilizar o QR Code para que as pessoas se aprofundem em pesquisas sobre aquilo que estão vendo no museu”, relata Diógenes Chaves.

O coordenador destacou que uma sala sensorial permitirá fazer projeções no teto para que o visitante observe o céu da Capital em diversas datas, mesmo em épocas passadas.

A tecnologia se baseia em algo parecido com as informações das tábuas de maré – a observação do céu, posicionamento de estrelas e planetas é comum hoje, e essas imagens estão registradas e podem ser projetadas.

Lembranças 

Souvenirs, lembranças, do Museu da Cidade de João Pessoa serão produzidos e colocados à venda no Museu do Artesanato – Casa do Artista, que funciona ao lado e atuará em conjunto.

Estrutura interativa 

O Museu da Cidade de João Pessoa (MCJP) seguirá novos padrões de coleta, preservação e divulgação da história da Capital paraibana. O padrão estático de um museu, que mostra sempre as mesmas peças e obras, dará lugar a uma estrutura interativa e com acervo sempre renovável.