Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Senadora propõe que aeroporto Castro Pinto passe a se chamar governador José Maranhão

Nilda Gondim apresentou projeto no Senado, lembrando que Maranhão era tão apaixonado pela política quanto pela aviação. Foi relator do Código Brasileiro de Aeronáutica de 1986.

José Maranhão na tribuna do Senado. Foto: Agência Senado

A senadora Nilda Gondim (MDB) apresentou um projeto de lei (4102/2021),  já em tramitação no Senado, prevendo alterar em lei (3.795/1960), para denominar de “Governador José Maranhão” o aeroporto localizado no município de Santa Rita, região metropolitana de João Pessoa. Atualmente, o aeroporto recebe o nome de outro político paraibano, de presidente Castro Pinto, que atuou no início do século XX.

“No intuito de reverenciar sua memória, identificamos na designação do aeroporto localizado na região metropolitana de João Pessoa, oportunidade única de prestar homenagem condizente com a figura valorosa desse paraibano que se tornou destacada personagem da cena política local, regional e nacional”, destaca a senadora, que ocupa no Senado a suplência na vaga de José Maranhão, falecido em fevereiro de 2021.

Nilda lembrou, no projeto, que ele era tão apaixonado pela política quanto pela aviação: para ele, pilotar era, além de vocação, vida. Foi relator do Código Brasileiro de Aeronáutica de 1986 e de sua revisão, que ainda se encontra em tramitação.

Sendo aprovado no Plenário do Senado, o projeto seguirá para análise da Câmara dos Deputados.

Histórico

Na justificativa, a senadora afirmou que José Maranhão dedicou sua vida com competência e dinamismo ao povo paraibano e ao fortalecimento da democracia e dos ideais republicanos no Brasil. Para ela, um “homem de posições firmes e pensamentos coerentes, participou de momentos políticos decisivos para o País. Sua trajetória política iniciou-se em 1955, aos 22 anos de idade, quando foi eleito deputado estadual, cargo para o qual foi reeleito por mais três mandatos. Deixou a Assembleia Legislativa da Paraíba em 1969, quando teve seus direitos políticos cassados pela ditadura militar”, descreveu.

Veja também  Governo amplia para 35% margem de crédito consignado dos servidores públicos da Paraíba

Gondim registrou, ainda, que, de volta à vida política em 1982, com a redemocratização do país, foi eleito pela primeira vez deputado federal. Por ocasião da Assembleia Nacional Constituinte, integrou como titular a Comissão de Organização do Estado. Honrou a confiança do povo paraibano ao exercer em três ocasiões o mandato de governador de seu estado natal.

Em 8 de fevereiro deste ano, depois de 71 dias de intensa luta, o Senador José Maranhão foi vencido pela Covid-19.

Castro Pinto

A lei que denominou o aeroporto da Região Metropolitana da capital de Castro Pinto foi assinada em 2 de agosto de 1960, pelo então presidente Jucelino Kubitschek. Castro Pinto foi deputado federal, em 1907. Um ano depois se elegeu senador. Ficou na cadeira até 1912. Depois foi eleito governador (presidente) da Paraíba entre 1912 e 1950.

É patrono da cadeira de número 33 da Academia Paraibana de Letras, que tem como fundador Samuel Duarte. Nasceu em Mamanguape e exerceu diversas funções na área jurídica e trabalhou também como jornalista.

De acordo com o historiador, Raimundo Hélio Lopes, depois disso abandonou a vida política, Castro Pinto mudou-se para o Rio de Janeiro, onde passou a administrar um cartório de registro de títulos e documentos. Também foi patrono da Academia Paraibana de Letras e membro do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano. Faleceu na cidade do Rio de Janeiro em 11 de julho de 1944.

Relação com Maranhão

A senadora sempre teve uma relação próxima com Maranhão. Mas, com o desejo de prestar uma homenagem ao contemporâneo e amigo, pode, no mínimo, gerar um desconforto nos familiares do primeiro político homenageado.